Prefeitura

"Não vou exercer nenhum cargo", garante João Lyra sobre mandato de Raquel

Ana Maria Santiago de Miranda
Ana Maria Santiago de Miranda
Publicado em 04/11/2016 às 15:06
NOTÍCIA
Leitura:

Ex-governador João Lyra Neto (PSDB) foi entrevistado nesta sexta-feira na Rádio Jornal Caruaru
Foto: Núbia Silva/Rádio Jornal Caruaru
O ex-governador João Lyra Neto (PSDB) disse nesta sexta-feira (4) que não vai exercer nenhum cargo na Prefeitura de Caruaru, no Agreste de Pernambuco, durante o mandato de sua filha, Raquel Lyra (PSDB), eleita no pleito deste ano. "Eu vou respeitar muito Raquel, ela foi a prefeita eleita, ela tem todas as condições de ser uma grande gestora. Agora o que ela precisar de mim, eu estou à disposição", afirmou, em entrevista à Rádio Jornal Caruaru.

Durante a conversa com o apresentador Igor Maciel e o radialista Iran Carvalho, João Lyra também comentou o caminho enfrentado pela família até sair vitoriosa da campanha municipal, como a "expulsão", nas palavras dele, do PSB. "Não interessava a candidatura de Raquel para lideranças do PSB", lamentou.

Seguindo a estratégia da filha, João Lyra também fez um apelo ao governador Paulo Câmara (PSB), de rapidez em trazer projetos para Caruaru, como um batalhão exclusivo da Polícia Militar para a cidade. O gestor do executivo estadual garantiu o cumprimento da proposta durante a campanha, em que ele apoiava o deputado estadual Tony Gel (PMDB). "Se ele [o governador] vai fazer algo, que faça agora. Não tem o que esperar, isso é injusto com o povo de Caruaru", afirmou.

Ainda no tema da campanha, João Lyra ratificou a denúncia feita às vésperas do dia da votação, de que a Polícia Militar estaria coagindo os profissionais e apoiadores da coligação Juntos por Caruaru.

O ex-governador disse ainda que recebeu informações de que alguém - que não teve a identidade revelada - estaria monitorando os telefonemas do grupo político. "Há mais de quatro meses recebemos essa informação. Inclusive disseram aonde era que estava instalado, aonde estava sendo gravado, quem estava monitorando isso e quem estava patrocinando. Nós denunciamos a quem era de direito. Celular é muito fácil de ser grampeado. Nós tínhamos celulares de outro estado para dificultar o grampeamento", revelou.

Eleições 2018

João Lyra Neto não descarta uma possível candidatura em 2018, mas acredita que ainda é cedo para tomar a decisão. "Vai depender desse movimento que está sendo construído, não só em Pernambuco, mas no Brasil inteiro", declarou.

Ouça a entrevista na íntegra:

Mais Lidas