Pesquisa

Maioria dos comerciantes não pretende contratar nos próximos 3 meses

Ana Maria Santiago de Miranda
Ana Maria Santiago de Miranda
Publicado em 09/11/2016 às 14:32
NOTÍCIA
Leitura:

Comerciantes foram ouvidos no centro (foto), no Parque 18 de Maio e no Polo Caruaru
Foto: reprodução/Google Maps
A maioria dos comerciantes de Caruaru, no Agreste de Pernambuco, não pretende fazer contratações nos próximos três meses. É o que revela uma pesquisa realizada através assessoria de economia e estatística do Sindicato do Lojista do Comércio de Caruaru (Sindloja).

De acordo com os dados, 63% dos empresários informaram que irão permanecer com o quadro atual de funcionários; 33% disseram que vão ampliar o número de empregados; 4% consideram fazer demissões. "Os empresários falaram que há três meses a situação do negócio não estava tão boa, então eles estão receosos, não querem aumentar os custos", afirma a economista Bruna Claudino, responsável pela pesquisa.

O levantamento também questionou aos lojistas qual a expectativa para as vendas de Natal e Ano Novo. Entre os entrevistados, 40% acreditam que haverá aumento nas vendas de Natal e Ano Novo, em relação ao mesmo período de 2015; 28% acham que será igual ao ano passado e 32% acreditam que vai diminuir.

Para os próximos três meses, a expectativa de vendas é boa para 73% dos entrevistados; 22% acham que a evolução será normal e 5%, ruim. Nos próximos seis meses, 68% acham que a situação dos negócios estará melhor; 23% igual e 9% pior.

Crise

O pesquisa também perguntou qual o principal fator que impede a melhora dos negócios da empresa. Dos comerciantes, 86% apontaram a crise política e econômica do Brasil como vilã; 14% disseram que o nível de procura é insuficiente; 14% afirmaram que o que atrapalha é a carga tributária; 12% disseram que é a escassez de capital de giro; 8% apontaram as taxas de juros elevadas e 6%, problemas financeiros.

No estudo, também foi perguntado se a empresa estava com contas atrasadas há mais de três meses: 81% responderam que não, 15% que sim e 4% não souberam dizer ou não responderam. Já quando foram questionados sobre a faixa de inadimplência que a empresa tem a receber, 84,5% dos entrevistados afirmaram que o valor é de até R$ 20 mil por cliente endividado.

Metodologia

A pesquisa - feita pela Simplex Consultoria - ouviu 100 lojistas, entre donos de empresas e gerentes de lojas, no último dia 25 de outubro. A coleta de dados foi realizada no centro de Caruaru, no Parque 18 de Maio e no Polo Caruaru. O levantamento foi feito com o uso do questionário de sondagem para o setor de comércio. Entre os temas envolvidos estiveram vendas para o Natal e fim de ano, nível de inadimplência e fatores que estão impedindo a melhora do setor, além de contingente de mão de obra.

Mais Lidas