Mata Sul

Jovem é preso suspeito de espancar criança até a morte em Maraial

Ana Maria Santiago de Miranda
Ana Maria Santiago de Miranda
Publicado em 21/12/2016 às 11:16
NOTÍCIA
Leitura:

Corpo da vítima foi encaminhado ao Instituto de Medicina Legal
Foto: reprodução/TV Jornal
Um jovem de 19 anos foi preso na noite dessa terça-feira (20) na zona rural de Panelas, no Agreste de Pernambuco, suspeito de espancar uma criança de dois anos até a morte em Maraial, na Zona da Mata Sul de Pernambuco. A menina era sobrinha da companheira dele, de 16 anos.

De acordo com o delegado titular de Maraial, João Bosco Alves de Sá, o homem, identificado como Jeferson Lúcio de Carvalho Gomes estava na casa de parentes e não resistiu à prisão. O delegado solicitou a prisão preventiva do suspeito ainda na semana passada, quando aconteceu o crime. "Ele admite que bateu, mas sempre tentando minimizar", relatou o delegado.

A criança teria sofrido as agressões durante o fim de semana e na segunda-feira anterior à morte. A menina foi encaminhada para o hospital municipal de Maraial e transferida para o Hospital de Catende, onde já chegou morta. Pouco após o falecimento da criança, no último dia 13, o suspeito começou a fuga para Panelas. Ainda de acordo com o delegado, ele estava com "tudo certo" para fugir para São Paulo.

Menina de dois anos era sobrinha da companheira do suspeito
Foto: reprodução/TV Jornal
A criança morava com a mãe em Canhotinho e ficaria por alguns dias sob responsabilidade do casal. Ainda de acordo com o delegado, Jeferson Lúcio de Carvalho Gomes é ex-presidiário por receptação de roubo. Ele também seria usuário de maconha, assim como sua companheira. "Vou procurar responsabilizar todas as pessoas, dentro do que a lei permitir", garantiu o delegado, quando questionado sobre a responsabilidade das pessoas que entregaram a criança ao casal.

O homem será encaminhado para o Presídio Rorenildo da Rocha Leão, em Palmares, também na Mata Sul, onde ficará sob responsabilidade da Justiça. Inicialmente, ele responderá por homicídio triplamente qualificado (motivo fútil, tortura e sem chance de defesa à vítima). Até o término do inquérito, o suspeito poderá ser responsabilizado por outros crimes. O inquérito deve ser concluído em 10 dias.

Mais Lidas