Abastecimento

Toritama deve ser primeira cidade a receber água da Adutora do Agreste

Ana Maria Santiago de Miranda
Ana Maria Santiago de Miranda
Publicado em 03/01/2017 às 12:12
NOTÍCIA
Leitura:

Obra da Adutora do Agreste terá 420 quilômetros, quando estiver pronta
Foto: divulgação/Compesa
O município de Toritama, no Agreste de Pernambuco, deve ser o primeiro a receber água pela Adutora do Agreste. A expectativa é que isto aconteça em maio deste ano. A cidade na sequência é Santa Cruz do Capibaribe, em setembro. De acordo com a Compesa, as obras ganharam um novo ritmo deste essa segunda-feira (2), após a liberação de recursos pelo governo federal. O último valor liberado foi R$ 42 milhões, na semana passada, o que fez a Compesa fechar 2016 com R$ 142 milhões liberados. 

Ainda de acordo com a Compesa, serão realizados estudos e projetos para dar funcionalidade às tubulações já construídas. No projeto inicial, estava previsto que a Adutora do Agreste seria alimentada pelo Eixo Leste da Transposição do Rio São Francisco, quando fosse concluído o Ramal do Agreste, obra do governo federal. Porém, a previsão de conclusão é 2022.

A obra da Adutora do Agreste voltará em 15 frentes de trabalho, ao longo das BRs 232 e 104. Serão gerados mais de 4 mil empregos diretos e indiretos nos canteiros de obras em Caruaru, Toritama, Santa Cruz do Capibaribe, Itaíba, Águas Belas e São Caetano. Em maio deste ano, devem ser iniciadas as obras do Lote 5, que irão implantar um treco de 40 quilômetros da adutora, entre Belo Jardim, São Bento do Una e Lajedo.

Serão gerados mais de 4 mil empregos diretos e indiretos
Foto: divulgação/Compesa
Os recursos recebidos no fim do ano passado foram os maiores desde o início do empreendimento, em 2013. O repasse pode chegar a R$ 370 milhões, caso seja mantido o calendário financeiro de 2017. Uma das alternativas para antecipar a chegada de água será a Adutora do Moxotó, a primeira ligação da Transposição com as regiões do Sertão e Agreste de Pernambuco.

A adutora, de 70 quilômetros de extensão, será puxada pela BR-232 até Arcoverde, e de lá seguir por um trecho de 130 quilômetros da Adutora do Agreste até Pesqueira, Belo Jardim e São Caetano. Desta forma, será possível levar água da Transposição, captada na Barragem do Moxotó, no Sertão, até São Caetano, no Agreste, com uma vazão de 450 litros por segundo. As obras da Adutora do Moxotó também ganharão celeridade a partir deste mês. A previsão para concluir o empreendimento é março de 2018, mas o objetivo é antecipar a finalização para dezembro deste ano.

Situação da obra

Dos 420 quilômetros da adutora, quase 300 estão concluídos, o que corresponde a 70% da adutora. Toda a obra, que inclui ainda o sistema de bombeamento e uma estação de tratamento de água, está 45% finalizada. Dos R$ 1,4 bilhão orçados para o empreendimento, foram executados R$ 610 milhões. Ao final do projeto, a Adutora do Agreste consumirá R$ 1,4 milhão e beneficiará mais de 2 milhões de pessoas em 68 municípios do Agreste, além de 80 localidades.

Mais Lidas