Reintegração de posse

PF desocupa 70 imóveis do Minha Casa Minha Vida em Jurema

Ana Maria Santiago de Miranda
Ana Maria Santiago de Miranda
Publicado em 07/02/2017 às 11:42
NOTÍCIA
Leitura:

Imóveis ocupados são do programa Minha Casa Minha Vida
Foto: divulgação/Polícia Federal
A Polícia Federal realiza nesta terça-feira (7) a desocupação de 70 imóveis do programa Minha Casa Minha Vida no município de Jurema, no Agreste de Pernambuco. As moradias ficam no Residencial Santo Antônio das Queimadas e foram ocupadas por famílias carentes da região.

De acordo com a PF, a reintegração de posse e desocupação foi impetrada pela Caixa Econômica Federal; a determinação judicial foi expedida pela 37ª Vara da Justiça Federal - Subseção de Caruaru. Na ação, estão sendo empregados 90 policiais federais, policiais militares e Corpo de Bombeiros, além de integrantes da Justiça Federal, do Conselho Tutelar, da Prefeitura de Jurema e da Caixa Econômica.

O objetivo da Polícia Federal é dar proteção aos oficiais de Justiça envolvidos na operação, fazer a verificação da área, assim como reprimir possíveis danos ao patrimônio e atuar no caso de resistência ou desobediência ao cumprimento da ordem judicial. Já a Polícia Militar atua no patrulhamento ostensivo nas vias do conjunto e vai utilizar a força para retirar as famílias dos imóveis, caso a negociação não surta efeito.

Desocupação pacífica

Participam da ação a Polícia Federal, a Polícia MIlitar, Corpo de Bombeiros, prefeitura, Conselho Tutelar, entre outros órgãos
Foto: divulgação/Polícia Federal
Ainda segundo a PF, até as 11h a desocupação ocorria de forma pacífica, já que várias reuniões já haviam sido feitas com os ocupantes irregulares dos imóveis. A Prefeitura de Jurema deve fornecer um local temporário para que sejam guardados os pertences das famílias. Quatro caminhões e dois tratores foram fornecidos pela Caixa para fazer o transporte.

A operação será concluída quando todos os imóveis estiverem sido desocupados e as pessoas retiradas do local. Os imóveis serão entregues à Caixa Econômica Federal, que ficará encarregada, por meio de uma empresa de segurança, por assumir a responsabilidade pela proteção da área.

Mais Lidas