menu

Projeto vai reusar efluente tratado para cultivo de plantas em Garanhuns

Objetivo do projeto é fazer a urbanização e o paisagismo na unidade operacional de Garanhuns
Foto: divulgação/Compesa
Um projeto está sendo desenvolvido para reutilizar efluentes gerados pela Estação de Tratamento de Esgoto (ETE) de Garanhuns, no Agreste de Pernambuco, para a produção de plantas ornamentais e espécies florestais.

Estudos foram realizados na área que vai abrigar o projeto
Foto: divulgação/Compesa
De acordo com a Companhia Pernambucana de Saneamento (Compesa), o trabalho vai avaliar o desenvolvimento das espécies, que serão irrigadas com o efluente tratado. A previsão é de que o plantio inicie até o fim de março.

Além disto, será testada a viabilidade técnica e ambiental de produção vegetal diretamente no solo, sem causar impactos ambientais. A ideia, ainda segundo a Compesa, urbanizar e fazer o paisagismo na unidade operacional, utilizando as espécies cultivadas na própria ETE Garanhuns. O trabalho vai contar com o apoio técnico da Universidade Federal Rural de Pernambuco (UFRPE).

Segundo a Compesa, o projeto traz uma alternativa de economia de água, com o reaproveitamento dos efluentes tratados. Atualmente, os efluentes tratados na ETE Garanhuns - esgoto produzido por 18 mil pessoas - são lançados no Rio Canhoto. 

A ideia é que o projeto piloto seja reproduzido em outras unidades operacionais da Compesa. Um projeto semelhante é desenvolvido na ETE Caruaru, que faz o reuso dos efluentes para a produção de espécies florestais e agrícolas.

Estudos

Estudos topográficos e altimétricos foram realizados na semana passada na área que vai abrigar o projeto. Também foi feita a delimitação do terreno, com 500 metros quadrados de área, e a coleta de solo para realização de ensaios físico-químicos e de fertilidade. As análises serão realizadas nos laboratórios de Física do Solo e Fertilidade da UFRPE, no câmpus Recife.