Ceramista

Um ano após morte de Manuel Eudócio, memorial é inaugurado em Caruaru

Ana Maria Santiago de Miranda
Ana Maria Santiago de Miranda
Publicado em 13/02/2017 às 9:52
NOTÍCIA
Leitura:

Ateliê do ceramista foi transformado em memorial no Alto do Moura, em Caruaru
Foto: divulgação/Prefeitura de Caruaru
O Memorial Manuel Eudócio está aberto para visitação a partir desta segunda-feira (13), no Alto do Moura, em Caruaru, no Agreste de Pernambuco. O espaço homenageia o ceramista caruaruense, que faleceu há um ano, aos 85 anos.

O memorial foi montado no mesmo local em que funcionava o ateliê do artista e conta com acervo de mais de 100 peças, em exposição permanente. Mestre Eudócio foi o primeiro discípulo do Mestre Vitalino, conhecido mundialmente por suas peças de barro.

A coleção do memorial conta com as últimas esculturas produzidas por Eudócio, que estavam à venda quando ele era vivo, assim como obras inéditas produzidas por ele. Entre as peças estão as obras "Casamento Matuto", "Lampião e Maria Bonita", "Casamento na Polícia" e "Almoço de Casamento". Além destes, estarão presentes trabalhos como figuras do Reisado, representadas pela obra "Bumba Meu Boi", com 28 personagens.

Manuel Eudócio faleceu há 85 anos em Caruaru
Foto: Museu do Brinquedo Popular
"Este memorial vai ser de grande importância para nós que somos filhos e também para Caruaru, Pernambuco. Papai chegou a ser patrimônio vivo de Pernambuco e muito reconhecido, então esse legado dele tem que continuar com esse material sendo visto pelos visitantes que virão à Caruaru. Eu acho que é de grande importância para a nossa cultura, para a nossa arte e nossa cidade", afirmou Ademilson Eudócio, filho do artista.

História

Manuel Eudócio faleceu no dia 13 de fevereiro de 2016, em Caruaru. Ele estava internado no Hospital Mestre Vitalino (HMV), com sintomas provocados pela chicungunha. O ceramista era hipertenso e sofria de insuficiência renal, problemas de saúde que foram agravados pelo vírus. 

Nascido em 28 de janeiro de 1931, no Alto do Moura, o ceramista foi um dos responsáveis pela divulgação da arte nordestina do barro no Brasil e no Mundo. Em 2005, recebeu o título de Patrimônio Vivo de Pernambuco. Seu trabalho era inspirado nas cenas do cotidiano nordestino e na crença popular.

Manuel Eudócio teve 9 filhos, dos quais 5 são artesãos: Luiz Carlos, Silvano, Adjaelson, Adenildo, Marcos e Elizabete, a única das mulheres que se dedica a pintar as peças.

 

Mais Lidas