Investigação

PF investiga esquema de corrupção em prefeituras do Agreste de PE

Ana Maria Santiago de Miranda
Ana Maria Santiago de Miranda
Publicado em 15/02/2017 às 6:57
NOTÍCIA
Leitura:

A PF cumpre 17 mandados em quatro cidades do Agreste de Pernambuco.
Foto: Marcelo Camargo/Agência Brasil

A Polícia Federal (PF) deflagrou nesta quarta-feira (15) a Operação Cosa Nostra, que visa desarticular uma organização criminosa que se instalou em diversas prefeituras dos municípios do Agreste de Pernambuco. O esquema contava com a participação de agentes públicos municipais para fraudar processos licitatórios com direcionamento de seus resultados. Os valores de recursos públicos destinados às empresas investigadas de modo a beneficiar políticos, parentes e empresários gira em torno de 100 milhões de reais em empenhos suspeitos envolvendo 10 prefeituras.

O cartel tinha atuação nos munícipios de Agrestina, Panelas, Jurema, Água Preta, Lagoa dos Gatos, Bom Conselho, Jupi, Iati, Riacho das Almas e Angelim. Ao todo, estão sendo cumpridos 17 mandados de busca e apreensão nos municípios de Agrestina, Caruaru, Garanhuns e São João. Estes três últimos não são partes do esquema, mas neles foram identificados alguns participantes e empresas envolvidas.

As investigações da PF que tiveram início em junho de 2016, a partir de denúncias de um vereador de um dos municípios investigados. Fora identificadas diversas irregularidades envolvendo a contratação de empresas, valendo-se de favorecimento a determinado cartel compostas de sócios-laranjas, que de forma reiterada vinha se sagrando vencedoras em licitações para execução de obra públicas com verbas federais especialmente na área da saúde e da educação e infraestrutura.

Indiciados

Oito pessoas serão indiciadas pelos crimes de frustação de caráter competitivo de licitação, fraude na contratação, corrupção ativa e passiva, crime de responsabilidade, cujas penas somadas ultrapassam os 30 anos reclusão. 

Mais Lidas