Brejo da Madre de Deus

PM troca tiros com supostos assaltantes de banco no Agreste de PE

Ana Maria Santiago de Miranda
Ana Maria Santiago de Miranda
Publicado em 21/02/2017 às 16:39
NOTÍCIA
Leitura:

Foram apreendidas duas espingardas, munições, um colete à prova de balas, grampos e galões de gasolina
Foto: divulgação/Polícia Militar
Dois policiais militares trocaram tiros com supostos assaltantes de bancos na manhã desta terça-feira (21) na PE-145, entre o distrito de Fazenda Nova e a cidade de Brejo da Madre de Deus, no Agreste de Pernambuco.

De acordo com a Polícia Militar, os homens estavam em dois veículos parados no acostamento da estrada, com o pisca-alerta ligado. Os policiais viram quando um dos suspeitos saiu da vegetação e entrou em um dos carros. O outro veículo acelerou e deixou o local.

Ainda segundo a polícia, a viatura parou a cerca de 15 metros de distância para abordar o carro. Ao avistar os policiais, três homens saíram do veículo e atiraram contra o efetivo. Os PMs revidaram e os suspeitos fugiram pela mata e ainda não foram localizados. Os policiais não ficaram feridos; mas algum dos suspeitos pode ter sido atingido, já que foi encontrado sangue na pista.

Dentro do carro deixado no local, foram encontrados uma espingarda calibre .12, uma espingarda calibre .44, sete munições calibre .12, doze munições calibre .44, trinta munições calibre .40, um colete à prova de balas, uma caixa com 49 grampos e dois galões de gasolina. Os homens estavam armados com pistolas, que não foram encontradas.

Homens seriam assaltantes de bancos

De acordo com o capitão Edmilson Silva, um dos policiais envolvidos na ocorrência, tudo leva a crer que tratam-se de assaltantes de bancos, já que foram encontrados grampos - geralmente espalhados na pista durante este tipo de ocorrência - e galões de gasolina, que seriam utilizados para incendiar veículos utilizados nas ações.

Ainda segundo o capitão, o carro apreendido era clonado. "Eles pegam um carro de mesmo modelo e fazem uma placa igual. Então quando se faz a consulta, dá a entender que não tem restrição (de roubo/furto)", explicou.

Mais Lidas