Caged

Caruaru registra criação de 270 vagas de emprego em abril

Ana Maria Santiago de Miranda
Ana Maria Santiago de Miranda
Publicado em 17/05/2017 às 10:05
NOTÍCIA
Leitura:

Áreas que geraram mais emprego em Caruaru foram o comércio, o setor de serviços e a indústria de transformação
Foto: arquivo/Agência Brasil

Após mais de dois anos de quedas no nível de emprego, a cidade de Caruaru, no Agreste de Pernambuco, voltou a gerar novas vagas no mês de abril. De acordo com o auditor do Ministério do Trabalho e Emprego (MTE) Francisco Reginaldo, foram criadas 270 novas vagas em abril, dando um freio nas sucessivas baixas registradas desde abril de 2015.

"Esse número nos enche de esperança, sinalizando que a economia está dando sinais de recuperação e a tendência é que essa perspectiva de alta vai continuar por todo o ano, principalmente com a chegada do São João, que certamente vai ajudar a aquecer a economia de Caruaru", afirma Francisco Reginaldo.

De acordo com os dados do Ministério do Trabalho, as áreas que geraram mais emprego na cidade foram o comércio, o setor de serviços (ambas com mais de 100 novas vagas) e a indústria de transformação. Caruaru foi a cidade que mais gerou empregos no Estado no mês de abril.

"O desemprego ainda existe, mais de 900 postos de trabalho já foram perdidos em 2017, mas as perspectivas são de que a crise está chegando ao fim", diz Francisco Reginaldo.

Brasil

Os dados nacionais do Caged revelam que o Brasil criou 59.856 mil vagas de emprego formal durante o mês de abril. O resultado representa uma variação positiva de 0,16% em relação a março deste ano. É o primeiro resultado positivo para um mês de abril desde 2014.

Em abril de 2016, o mercado de trabalho formal tinha registrado a perda de 62.844 mil postos de trabalho: foram contabilizadas 1.141.850 admissões e 1.081.994 desligamentos. Já em março deste ano, foram registradas 1.261.332 admissões e 1.324.956 desligamentos, ou seja, 63.624 vagas foram perdidas. O setor de serviços foi o que registrou melhor resultado em abril deste ano, com um saldo de 24.712 contratações, seguido pela agropecuária (14.648); indústria de transformação (13.689) e comércio (5.327).

Mais Lidas