Câmara

Suplente toma posse após prisão de vereador em Garanhuns

Ana Maria Santiago de Miranda
Ana Maria Santiago de Miranda
Publicado em 17/05/2017 às 14:12
NOTÍCIA
Leitura:

Solenidade de posse foi realizada nessa terça-feira na Câmara de Garanhuns
Foto: divulgação/Câmara de Garanhuns

O suplente de vereador Luiz Leite (PHS) tomou posse nessa terça-feira (16) na Câmara de Garanhuns, no Agreste de Pernambuco, em substituição ao vereador Marinho da Estiva (PHS), preso em dentro da operação "Sem Fronteiras", da Polícia Civil.

Luiz Leite tomou posse após convocação feita pela presidente da Casa Raimundo de Moraes, Carla de Zé Vilaço (PTB), como determina o regimento interno. Luiz é filho do ex-vereador Pedro Leite, que atuou durante três mandatos em Garanhuns.

De acordo com a assessoria de imprensa da Câmara de Garanhuns, o suplente assumiu as funções legislativas em princípio por um pequeno período. Após a prisão, Marinho da Estiva foi suspenso temporariamente das ações parlamentares.

Antes da posse, o primeiro secretário da Casa, vereador Ary Júnior (PTB) conferiu a documentação necessária, diploma e declaração de bens do suplente. Na solenidade, Luiz Leite assinou o livro de posse e proferiu juramento, de acordo com o artigo 172 da Lei Orgânica do município.

Luiz é formado em administração e vai exercer pela primeira vez mandato como vereador da cidade
Foto: divulgação/Câmara de Garanhuns

Empossado, Luiz Leite disse na tribuna do plenário que, apesar de saber que as ações podem ser por um período breve, isto não irá impossibilitá-lo para "trabalhar para o bem de nosso povo". Luiz é formado em administração e vai exercer pela primeira vez mandato como vereador da cidade.

Operação Sem Fronteiras

A operação Sem Fronteiras foi deflagrada no dia 10 de maio com o objetivo de prender suspeitos de assaltos a bancos, roubo de carga e de carros, além de tráfico de drogas. Além do vereador Marinho da Estiva, foram presos um tenente da Polícia Militar e o líder da organização. A operação deu cumprimento a 23 mandados de prisão preventiva e 26 mandados de busca e apreensão domiciliar. Na operação, foram empregados 120 policiais civis e militares, de Pernambuco e Alagoas.

Mais Lidas