Compesa

Esgotamento sanitário de Caruaru será ampliado e modernizado

Ana Maria Santiago de Miranda
Ana Maria Santiago de Miranda
Publicado em 23/05/2017 às 7:53
NOTÍCIA
Leitura:

Estação de Tratamento de Caruaru
Foto: divulgação/Compesa

A Companhia Pernambucana de Saneamento (Compesa) anunciou um projeto de ampliação e modernização do sistema de esgotamento sanitário de Caruaru, no Agreste de Pernambuco. A primeira etapa do projeto vai iniciar este mês, para reativar quatro estações elevatórias.

Um diagnóstico operacional também será realizado, assim como o cadastro técnico da rede coletora que foi implantada na década de 1970. A intenção da Compesa é estender a cobertura de esgotamento sanitário para 100% da cidade.

De acordo com a Compesa, as ações irão recuperar o sistema já existente, que abrange parte de 14 bairros da cidade (40% da área urbana). Entre os bairros estão Caruá, Boa Vista (1 e 2), Mandacaru, Nova Caruaru, Macaparana, Inocoop, José Liberato, Cidade Jardim, Rendeiras, Jardim Panorama, Salgado, Centro, Petrópolis e Maurício de Nassau.

As ações do projeto serão financiadas pelo Programa de Saneamento Ambiental da Bacia Hidrográfica do Rio Ipojuca (PSA Ipojuca), com recursos do Banco Interamericano de Desenvolvimento. A companhia vai iniciar as obras pela reabilitação de quatro estações elevatórias de esgotos: Rendeiras II e II, José Liberato I e Boa Ventura. Juntas, estas possuem uma vazão de 250 litros de esgoto por segundo.

Ainda de acordo com a Compesa, serão feitas trocas de conjuntos de bombeamento, colocação de novas bombas, substituição dos quadros de comando elétrico, além de reparos estruturais.

Com o retorno da operação das unidades, cerca de 40 mil imóveis da cidade passarão a ter seus esgotos tratados, contribuindo diretamente para a despoluição do manancial. Para essa primeira etapa, que tem o prazo de seis meses para execução a partir da emissão da ordem de serviço. O investimento é de R$ 2,6 milhões.

Limpeza

A Compesa também informou que será iniciada a limpeza e desobstrução dos principais coletores "tronco" da rede (interceptores), que somam mais de 2,2 quilômetros de extensão. O trabalho também vai permitir a filmagem interna da rede coletora com equipamentos robotizados para verificar e diagnosticar as condições físicas das tubulações. Ainda será realizado o levantamento e cadastramento técnico de mais de 300 quilômetros da rede existente. Serão destinados mais de R$ 3 milhões para este trabalho.

Para reativar todo o sistema existente em Caruaru, a Compesa informou que precisa recuperar 14 estações elevatórias e triplicar a capacidade de operação da Estação de Tratamento de Esgoto (ETE) Caruaru, localizada no bairro Rendeiras. Atualmente, trata 450 litros de esgoto por segundo. Para elaborar todo o projeto de ampliação e modernização do sistema (dividido em 37 bacias), estão sendo investidos R$ 3,6 milhões. O projeto deve ser finalizado até maio de 2018.

Mais Lidas