Acusado de matar Marcolino

Delegado e funcionário de motel são testemunhas de júri de Rafael

Ana Maria Santiago de Miranda
Ana Maria Santiago de Miranda
Publicado em 21/06/2017 às 11:16
NOTÍCIA
Leitura:

Julgamento é realizado no Salão do Júri do Fórum de Caruaru
Foto: Nayara Vila Nova/TV Jornal Caruaru

O delegado Márcio Cruz e dois peritos são testemunhas de acusação no julgamento de Rafael Leite da Silva, acusado de matar o colunista social e jornalista Marcolino Júnior, em abril do ano passado. Um funcionário do motel em que Marcolino teria sido morto é testemunha de defesa.

De acordo com o inquérito da Polícia Civil, Rafael Leite dopou Marcolino e o levou para o motel, onde aplicou um golpe de jiu-jitsu no jornalista. Em seguida, matou Marcolino a facadas, colocou o corpo dentro do carro da vítima e deixou em uma área rural no distrito de Insurreição, em Sairé.

Segundo a polícia, um funcionário do motel viu o momento em que Rafael carregou e colocou o corpo de Marcolino dentro da mala do carro. A defesa alega que o funcionário não reconheceu o rosto do acusado, apenas identificou o tipo físico do homem.

Mais Lidas