Após Prata verter

Racionamento de água de Caruaru terá nova redução em setembro

Ana Maria Santiago de Miranda
Ana Maria Santiago de Miranda
Publicado em 06/07/2017 às 10:24
NOTÍCIA
Leitura:

Barragem do Prata atingiu capacidade máxima e começou a verter
Foto: Jefferson Nascimento/divulgação/Compesa

O calendário de abastecimento de água em Caruaru, no Agreste de Pernambuco, deverá ser reduzido até o final de setembro deste ano, o que fará com que a população passe menos tempo sem água nas torneiras. De acordo com a Companhia Pernambucana de Saneamento (Compesa), o Governo do Estado está investindo R$ 2,6 milhões na ampliação da capacidade das estações de bombeamento do Sistema Produtor Prata/Pirangi. A expectativa é concluir a obra até o fim do mês de setembro.

Atualmente, o calendário de abastecimento de água em vigor em Caruaru é de cinco dias com água para 15 dias sem, desde o fim do mês de junho. A notícia da diminuição do racionamento vem após a Barragem do Prata verter, nessa quarta-feira (5), o que não acontecia desde 2011, ou seja, há seis anos. A recuperação do manancial, que fica em Bonito, anima a população das cidades abastecidas: Caruaru, Altinho, Ibirajuba, Agrestina, Cachoeirinha e Santa Cruz do Capibaribe.

Segundo a Compesa, a Barragem do Prata saiu da situação de pré-colapso e conseguiu armazenar a capacidade máxima de acumulação do reservatório, que é de 42 milhões de metros cúbicos de água. Apesar disto, a água não é suficiente para retirar Caruaru do racionamento, já que a cidade precisaria da água da Barragem de Jucazinho para ficar livre do rodízio de forma definitiva.

Manancial do Prata fica em Bonito e atende Caruaru e outras cinco cidades do Agreste
Foto: Jefferson Nascimento/divulgação/Compesa

A Barragem de Jucazinho, que fica em Surubim, é responsável pelo abastecimento de 60% de Caruaru e continua em colapso, desde setembro do ano passado. O reservatório ainda não conseguiu acumular água no período de chuvas. "Estamos executando uma obra complementar para a troca dos conjuntos motorbomba do Sistema Prata/Pirangi por equipamentos mais potentes. Essa medida vai permitir um acréscimo de 200 litros de água, por segundo, para 800 mil pessoas em Caruaru e nas outras cidades da região", disse o gerente de Unidade de Negócios da Compesa, Mário Heitor.

Obra complementar

Outra obra complementar, que deve ser concluída até o fim deste ano, irá viabilizar o retorno do abastecimento de água para as cidades do Tramo Sul de Jucazinho: Passira, Cumaru, Riacho das Almas e Salgadinho. Estas cidades estão sendo abastecidas exclusivamente por caminhões-pipa. Segundo a Compesa, a construção de uma nova unidade de bombeamento na Estação de Tratamento de Água (ETA) do Salgado, em Caruaru, vai proporcionar a inversão do sistema (que vinha de Jucazinho para Caruaru) para retornar o caminho da adutora levando uma vazão de 200 litros de água por segundo, do Prata e Pirangi, para atender essas cidades.

A cidade de Toritama será atendida por um trecho da Adutora do Agreste, que será interligada à Adutora de Tabocas, alimentada com águas dos sistemas Prata/Pirangi. A obra está em execução e a previsão é concluir as intervenções em agosto.

Mais Lidas