Petrolina

Delegada Poliana Nery assume investigação do Caso Beatriz

Ana Maria Santiago de Miranda
Ana Maria Santiago de Miranda
Publicado em 27/11/2017 às 9:01
NOTÍCIA
Leitura:

Secretário Defesa Social, Antônio de Pádua, concedeu entrevista à Rádio Jornal Petrolina
Foto: divulgação/Rádio Jornal Petrolina

O secretário de Defesa Social (SDS), Antônio de Pádua, anunciou nesta sexta-feira (27), em entrevista à Rádio Jornal Petrolina, no Sertão de Pernambuco, que a delegada Poliana Nery vai assumir a investigação do caso da menina Beatriz Mota, assassinada no dia 10 de dezembro de 2015 dentro de um colégio particular da cidade. A delegada Gleide Ângelo deixa o caso.

A delegada Poliana Nery é diretora adjunta da Diretoria Integrada do Interior 2 (Dinter 2), que inclui Petrolina e outros municípios do Sertão pernambucano. "Ela já está debruçada sobre os catorze volumes desta investigação, e a gente não tem dúvidas de que ela vai encontrar o suspeito e efetivamente fazer a prisão e levá-lo à Justiça", afirmou Antônio de Pádua.

Poliana Nery é responsável pela elucidação da morte de um menino de nove anos no município de Sobradinho, na Bahia. O menino Wallyson foi estuprado e morto por asfixia. O suspeito foi preso.

Quase dois anos após o crime, a morte de Beatriz continua impune e a família, em busca de Justiça. Vários protestos já foram realizados no Vale do São Francisco e no Recife, cobrando respostas. Ao longo deste tempo, vários delegados passaram pelo caso. Os pais da menina cobram fim do sigilo das investigações.

Morta com 42 facadas dentro de colégio

Na época com sete anos, Beatriz Angélica Mota foi assassinada com 42 facadas no Colégio Maria Auxiliadora, em Petrolina, no dia da festa de formatura da irmã dela, que terminava o terceiro ano do ensino médio na instituição.

O crime aconteceu no dia 10 de dezembro de 2015. A menina estava na quadra do colégio e disse à mãe que iria beber água. O corpo da criança foi encontrado cerca de 30 minutos depois em uma sala isolada no colégio.

Mais Lidas