Reunião

Garanhuns deverá ter unidade de Polícia Científica em 2018

Ana Maria Santiago de Miranda
Ana Maria Santiago de Miranda
Publicado em 27/11/2017 às 10:23
NOTÍCIA
Leitura:

Reunião entre gerente geral de Polícia Científica de Pernambuco, Sandra Santos, e prefeito de Garanhuns, Izaías Régis
Foto: divulgação/Prefeitura de Garanhuns

O município de Garanhuns, no Agreste de Pernambuco, contará com uma Unidade Regional de Polícia Científica no primeiro semestre de 2018. A unidade está inclusa em um projeto de lei enviado pelo Governo do Estado à Assembleia Legislativa de Pernambuco (Alepe) no dia 17 de novembro, que entre outras medidas inclui a interiorização da Polícia Científica. Hoje, existem unidades no Recife, em Caruaru, Petrolina e Salgueiro. As outras terão sede em Palmares e Nazaré da Mata, na Zona da Mata; Garanhuns, no Agreste; Afogados da Ingazeira, Arcoverde, Ouricuri, no Sertão.

Na semana passada, uma reunião foi realizada entre o prefeito da cidade, Izaías Régis, e a gerente geral de Polícia Científica de Pernambuco, delegada Sandra Santos, para firmar uma parceria. A secretária de Educação, Eliane Simões, também acompanhou a reunião. No encontro, o gestor municipal disponibilizou-se a colaborar com o local que receberá a unidade, que ainda não foi definido. A delegada confirmou que o Instituto de Medicina Legal (IML) 24 horas, uma unidade de remoção de cadáveres, o Instituto de Criminalística e o Instituto Tavares Buril funcionarão na cidade.

Governador Paulo Câmara anunciou reforços na área de segurança pública
Foto: divulgação/SEI

Como polo regional, Garanhuns poderá atender a região em horário integral. O serviço de perícia garante ainda agilidade e fortalecimento de inquéritos policiais. "Poderão ser realizadas investigações mais robustas, com perícia no local do crime, de drogas (química forense), balística, identificação de veículos no caso de transferência e peritos em informática. Neste momento, não teríamos condições de instalar uma unidade desse porte sem um apoio municipal", afirmou a delegada.

Todas as unidades regionais contarão com profissionais do Instituto de Medicina Legal (IML), Instituto de Criminalística (IC) e Instituto de Identificação Tavares Buril (IITB). De acordo com o Governo do Estado, o efetivo que atuará nas unidades será o do concurso público da Polícia Científica realizado em 2016. Serão 139 peritos criminais, 40 médicos legistas, 130 auxiliares de peritos, 73 auxiliares de legistas e 51 peritos papiloscopistas. Eles já estão participando do curso de formação, previsto para terminar em janeiro de 2018.

Mais Lidas