Caso Alexandre Farias

Após perícia, jornalista Alexandre Farias é aposentado por invalidez

Ana Maria Santiago de Miranda
Ana Maria Santiago de Miranda
Publicado em 15/01/2018 às 8:38
NOTÍCIA
Leitura:

Jornalista segue internado em um quarto individual no hospital Esperança, no Recife.
Foto: reprodução

Nesta terça-feira (16) completa quatro meses que o apresentador e jornalista Alexandre Farias, foi atingido por uma bala perdida durante troca de tiros no bairro Alto do Moura, em Caruaru, no Agreste de Pernambuco. Ele segue internado no hospital Esperança, no Recife. Alexandre voltava para casa após apresentar o telejornal noturno da TV Asa Branca, afiliada da Rede Globo, quando foi atingido por um tiro na cabeça. 

Após uma perícia do médico do INSS, o jornalista foi aposentado por invalidez. O apresentador segue sem previsão de alta, mas continua a evoluir, sendo acompanhado por médicos e interagindo com familiares e visitantes. Alexandre está recuperando os movimentos aos poucos na medida em que é reabilitado por fisioterapias.

Relembre o caso: 

O apresentador Alexandre Farias foi baleado na noite de 16 de setembro dentro do próprio carro quando seguia para casa, no bairro do Alto do Moura, em Caruaru, no Agreste de Pernambuco. No caminho, o jornalista foi atingido por uma bala perdida durante troca de tiros entre criminosos em um veículo roubado e a Polícia Militar.

Ainda durante a fuga dos suspeitos, dois socorristas do Serviço de Atendimento Médico de Urgência (SAMU) que atendiam uma vítima de um acidente de trânsito próximo ao local foram atropelados pelos bandidos. O apresentador foi levado para o Hospital Regional do Agreste (HRA) para receber os primeiros socorros e passou cerca de duas semanas internado no Hospital da Unimed, em Caruaru. Desde o dia 28 de setembro foi transferido para o Hospital Esperança, no Recife, a pedido da família, que mora na capital pernambucana, onde permaneceu na UTI até receber alta da mesma no die 06 de dezembro. Desde então, ele estpá em um apartamento individual na unidade. Os suspeitos de cometer os crimes foram presos em uma operação da Polícia Civil.

Mais Lidas