Caruaru

Delegado: mesmo com morte de suspeito de golpe, inquérito continua

Ana Maria Santiago de Miranda
Ana Maria Santiago de Miranda
Publicado em 13/08/2018 às 10:23
NOTÍCIA
Leitura:

Delegado Thiago Henrique é responsável pelas investigações
Foto: reprodução/TV Jornal

O delegado Thiago Henrique, responsável por investigar o caso de um suposto golpe de quase R$ 50 mil sofrido por alunos de uma faculdade particular de Caruaru, no Agreste de Pernambuco, disse nesta segunda-feira (13) que o inquérito vai continuar normalmente, mesmo com a morte do jovem, registrada durante esta madrugada.

De acordo com o delegado, caso os crimes sejam confirmados (apropriação indébita e estelionato), o inquérito será concluído com a autoria dele, mas o jovem não será indiciado por causa da morte. Em seguida, a investigação será remetida ao Poder Judiciário.

Caso o suspeito estivesse vivo, os alunos teriam que entrar com uma ação civil para receber a restituição dos danos. Já que o suspeito está morto, há extinção de punibilidade prevista no artigo 107 do Código Penal. Ou seja, ele não poderá ser punido.

Ao final do processo, caso o jovem seja responsabilizado, a sentença servirá como um título executivo e os alunos lesados não precisarão entrar com um novo processo. Segundo o delegado, uma empresa foi encontrada no nome do jovem. Os valores na conta bancária dele e o resto do patrimônio poderão ser utilizados ao final do processo para restituir as vítimas.

Até agora, apenas o pai do jovem foi ouvido na delegacia. A mãe, que acompanhava o suspeito no hospital, deverá prestar depoimento na próxima semana. "Nós estávamos aguardando a situação dele no hospital para ouvi-lo", disse o delegado Thiago Henrique.

Relembre o caso

Cerca de 40 alunos do curso de fisioterapia de uma faculdade particular de Caruaru denunciaram no último dia 6 de agosto que foram vítimas de um golpe por parte de um colega de turma, que seria membro da comissão de formatura. O suspeito teria desviado cerca de R$ 50 mil do dinheiro arrecadado para a festa, que seria realizada no próximo ano.

Na semana passada, o pai do jovem foi ouvido na delegacia e informou que sequer sabia que o filho integrava a comissão de formatura. O jovem era suspeito de de apropriação indébita e estelionato. Ele faleceu na madrugada desta segunda-feira (13) no Hospital da Restauração, no Recife, após tentar suicídio.

Mais Lidas