Procuradoria Regional

Após confusão em Caruaru, OAB pede impugnação da candidatura de Joel da Harpa

Ana Maria Santiago de Miranda
Ana Maria Santiago de Miranda
Publicado em 23/08/2018 às 9:46
NOTÍCIA
Leitura:

Ronnie Duarte entregou pleito ao procurador Francisco Machado
Foto: divulgação/OAB-PE

O presidente da OAB Pernambuco, Ronnie Preuss Duarte, protocolou na tarde dessa quarta-feira (22) o pedido de providências para a impugnação do registro de candidatura a deputado estadual de Joel da Harpa (PP). O pleito foi entregue na Procuradoria Regional Eleitoral do Ministério Público Federal, no Recife, ao procurador Francisco Machado. O documento considera que a expulsão do deputado dos quadros da Polícia Militar em 2017 o qualifica como "ficha suja".

O pedido de impugnação acontece após a participação de Joel da Harpa no ato de desagravo em favor do advogado Sávio Delano, ocorrida na última terça-feira (21) em Caruaru, no Agreste do Estado. Os advogados realizaram o ato em frente ao 1º Batalhão Especializado do Interior (Biesp), contra a prisão considerada pela OAB como arbitrária do advogado, enquanto este estava no exercício da profissão, no mês de julho.

A OAB-PE também entrará com representação contra Joel da Harpa na Assembleia Legislativa de Pernambuco (Alepe) por quebra do decoro parlamentar. Uma confusão generalizada foi registrada no momento do ato entre um grupo de pessoas que acreditava que a Ordem pedia o fechamento do batalhão, após a divulgação de notícias falsas (fake news) nas redes sociais. "Uma difusão criminosa e que terminou gerando um contratempo no local do desagravo, fruto de uma atitude insensata com a colaboração do deputado Joel da Harpa, o que representa quebra do decoro parlamentar", disse Ronnie Duarte, através da assessoria de imprensa.

Ato de desagravo foi realizado em frente ao 1º Biesp
Foto: Giovani Gomes/Rádio Jornal Caruaru

No dia do ato, a assessoria de imprensa de Joel da Harpa divulgou uma nota afirmando que o deputado sofreu uma tentativa de agressão durante o discurso que fazia em defesa dos policiais militares. De acordo com a nota, manifestantes "partiram para cima do parlamentar", que foi ao município para dar apoio à tropa devido à notícia - falsa - de que os advogados exigiam o fechamento do batalhão.

Ato de desagravo

O desagravo público contou com a participação de mais de 200 advogados, incluindo o presidente do Conselho Federal da OAB (CFOAB), Claudio Lamachia, a Diretoria da OAB-PE, a diretoria da subseção da OAB Caruaru, representada pelo presidente Felipe Sampaio, e o desagravado Sávio Delano.

Mais Lidas