Crime

Motorista do Uber é preso suspeito de estuprar adolescente em Caruaru

Ana Maria Santiago de Miranda
Ana Maria Santiago de Miranda
Publicado em 31/08/2018 às 9:43
NOTÍCIA
Leitura:

Motorista estava cadastrado no aplicativo Uber
Foto: divulgação/Polícia Civil

Um motorista do aplicativo Uber foi preso na manhã desta sexta-feira (31) suspeito de estuprar um adolescente de 14 anos em Caruaru, no Agreste de Pernambuco. O homem de 41 anos foi preso na Avenida Agamenon Magalhães, no bairro Maurício de Nassau, quando ia para o escritório da empresa.

De acordo com o delegado Thiago Henrique, o suspeito foi preso por meio de mandado de prisão temporária. Ele é natural de Palmares, na Zona da Mata Sul, e atuava como motorista do aplicativo na Capital do Agreste há quatro meses. "O crime de estupro é muito difícil para as pessoas denunciarem, mas pelo modo como ele agiu, com certeza tem outras vítimas", afirmou o delegado.

O adolescente disse à polícia que solicitou uma corrida na última sexta-feira (24) e na saída do bairro Vassoural o motorista desviou a rota e parou no acostamento da BR. Neste local, o motorista teria obrigado a vítima a praticar sexo oral nele. Em seguida, o motorista seguiu o percurso e deixou o adolescente próximo ao bairro Agamenon Magalhães.

Veículo com placa de Belém de Maria foi apreendido
Foto: Rebeca Nunes/TV Jornal Interior

O suspeito será levado para o Instituto de Medicina Legal (IML), onde realizará exame de corpo de delito, e em seguida será conduzido à 3ª Delegacia da cidade. O homem vai responder por estupro qualificado. O caso continua sob investigação, que conta com a colaboração da Uber.

Por meio de nota, a Uber lamentou o crime e afirmou que nenhum comportamento dessa natureza é tolerado e o motorista já foi banido da plataforma desde que a denúncia foi feita. A empresa reforçou que repudia qualquer tipo de assédio ou violência. A empresa se colocou à disposição para colaborar com as autoridades no curso de investigações ou processos judiciais.

Confira a íntegra da nota:

"A Uber lamenta o crime terrível que foi cometido. Nenhum comportamento dessa natureza é tolerado e o motorista foi banido da plataforma assim que a denúncia foi feita. A Uber repudia qualquer tipo de assédio ou violência.

A empresa está sempre à disposição para colaborar com as autoridades no curso de investigações ou processos judiciais, nos termos da lei.

Nenhuma viagem com a plataforma é anônima e todas são registradas por GPS. Isso permite que, em caso de necessidade, nossa equipe especializada possa dar suporte às autoridades, sabendo quem foi o motorista parceiro e o usuário, seus históricos e qual o trajeto realizado.

A Uber reitera que todos os motoristas parceiros cadastrados na Uber passam por uma checagem de antecedentes criminais realizada por empresa especializada que, a partir dos documentos fornecidos para cadastramento na plataforma, consulta informações de diversos bancos de dados oficiais e públicos de todo o País em busca de registros de crimes ou infrações que possam ter sido cometidas."

Mais Lidas