Caruaru

Ex-esposa de advogado planejou assassinato com o irmão, diz polícia

Ana Maria Santiago de Miranda
Ana Maria Santiago de Miranda
Publicado em 01/10/2018 às 11:09
NOTÍCIA
Leitura:

Delegados Rodolfo Bacelar, Joselito Kehrle e José Rivelino
Foto: Luiz Carlos Fernandes/TV Jornal Interior

O delegado Rodolfo Bacelar, da 20ª Delegacia de Homicídios de Caruaru, no Agreste de Pernambuco, divulgou nesta segunda-feira (1º) os detalhes da operação "Patronus", que prendeu envolvidos na morte do advogado André Ambrósio, registrada no dia 12 de julho deste ano.

De acordo com as investigações, o crime contou com a participação de cinco pessoas. Os mandantes teriam sido a ex-esposa e o ex-cunhado do advogado, mãe e tio da criança que estava com o advogado no momento do crime.

Os motivos de Isadora Ferreira de Almeida seriam porque o advogado a teria perseguido após o fim do relacionamento e ameaçado denunciar supostos crimes em que ela estaria envolvida. Além disto, ela teria tido um prejuízo financeiro com André Ambrósio. A polícia afirmou que Isadora estaria envolvida em um esquema de lavagem de dinheiro. Ela foi presa nesta segunda-feira (1º).

Isadora contou com o apoio do irmão, ex-cunhado da vítima, José Isaac Ferreira de Almeida. De acordo com a polícia, Isaac também estaria envolvido no esquema criminoso e temia que o ex-cunhado denunciasse o caso. Ele está foragido.

Preso preventivamente nesta segunda, Ramon Reis da Silva foi apontado pela polícia como o homem que desceu do veículo e efetuou disparos contra o advogado. Segundo o delegado Rodolfo Bacelar, é ele quem aparece nas imagens que flagraram o momento exato do crime. Ele teria sido contratado pelos irmãos.

Retrato falado divulgado pela polícia e imagem do suspeito
Foto: divulgação/Polícia Civil

Ainda de acordo com a polícia, Ramon é responsável por parte do tráfico de drogas no estado de Sergipe e praticava homicídios em troca de dinheiro. Ele estava escondido em Caruaru há cinco meses após matar um traficante rival por disputa de território em Aracaju.

De acordo com as investigações, na fuga Ramon contou com o apoio de dois homens que estão foragidos: José Jameson de Sales (Jairzinho) e Emerson Henrique de Azevedo. Segundo o delegado, Jairzinho era o dono do carro clonado que foi utilizado na execução do crime. Ele e Emerson incendiaram o veículo. Os envolvidos serão indiciados por crimes como homicídio duplamente qualificado, associação criminosa, entre outros.

Relembre o caso

O advogado trabalhista André Ambrósio, de 46 anos, foi morto no dia 12 de julho deste ano, quando chegava para deixar a filha de um ano na casa da ex-sogra no Loteamento Itamaraty, em Caruaru. De acordo com testemunhas, o suspeito teria anunciado um assalto e em seguida atirado contra o advogado, que morreu no local. A filha dele e a babá presenciaram o crime.

Após o assassinato, o homem fugiu com o apoio de um veículo que o aguardava próximo ao local, sem levar nada. Câmeras de segurança de imóveis próximos registraram todo o assassinato. Um retrato falado do executor chegou a ser divulgado na mesma semana em que o crime foi registrado, mas até esta segunda-feira, ninguém havia sido preso. Ainda não se sabe o que motivou o crime.

Mais Lidas