Investigação

Operação busca suspeitos de matar advogado no mês de julho em Caruaru

Ana Maria Santiago de Miranda
Ana Maria Santiago de Miranda
Publicado em 01/10/2018 às 8:16
NOTÍCIA
Leitura:

Vídeo mostra momento em que o advogado foi executado
Foto: reprodução de vídeo

A Polícia Civil deflagrou na manhã desta segunda-feira (1º) a operação "Patronus" com o objetivo de prender suspeitos de homicídios em Caruaru, no Agreste de Pernambuco. Entre os envolvidos na operação estão responsáveis pela morte do advogado André Ambrósio Ribeiro Pessoa, assassinado no mês de julho em frente à filha de um ano no Loteamento Itamaraty.

A operação é presidida pelo delegado Rodolfo Bacelar, que iniciou as investigações no mês de julho deste ano. Durante a operação, estão sendo cumpridos cinco mandados de prisão preventiva, expedidos pela juíza da Comarca de Caruaru. A polícia não informou quantos dos alvos estão envolvidos no assassinato do advogado, nem a identidade deles.

Trinta e oito policiais civis, entre delegados, agentes e escrivães, foram empregados na execução da operação. A "Patronus" também conta com o apoio da Polícia Civil da Bahia e de Sergipe. A Dinter 1 coordena a operação, que é supervisionada pela Chefia de Polícia e assessorada pela Diretoria de Inteligência da Polícia Civil de Pernambuco (Dintel).

Relembre o caso

O advogado trabalhista André Ambrósio, de 46 anos, foi morto no dia 12 de julho deste ano, quando chegava para deixar a filha de um ano na casa da ex-sogra no Loteamento Itamaraty, em Caruaru. De acordo com testemunhas, o suspeito teria anunciado um assalto e em seguida atirado contra o advogado, que morreu no local. A filha dele e a babá presenciaram o crime.

Após o assassinato, o homem fugiu com o apoio de um veículo que o aguardava próximo ao local, sem levar nada. Câmeras de segurança de imóveis próximos registraram todo o assassinato. Um retrato falado do executor chegou a ser divulgado na mesma semana em que o crime foi registrado, mas até esta segunda-feira, ninguém havia sido preso. Ainda não se sabe o que motivou o crime.

Mais Lidas