Saúde

FAV de Arcoverde anuncia fechamento; SES critica decisão

Ana Maria Santiago de Miranda
Ana Maria Santiago de Miranda
Publicado em 13/11/2018 às 11:37
NOTÍCIA
Leitura:

FAV de Arcoverde teve atividades encerradas
Foto: reprodução/Google Maps

O município de Arcoverde, no Sertão de Pernambuco, deixará de contar com os serviços oftalmológicos oferecidos pela Fundação Altino Ventura (FAV). A instituição atua como rede complementar ao Sistema Único de Saúde (SUS) e realizava exames e atendimentos para mais de 70 mil habitantes da cidade.

Em nota oficial divulgada pela FAV, a instituição esclarece os motivos pelo qual deixará de atender o município. De acordo com a fundação, a entidade depende dos pagamentos estabelecidos nos contratos firmados com a Secretaria Estadual de Saúde (SES-PE) e municípios para que possa manter os serviços à população.

"A Fundação Altino Ventura tem consciência do momento econômico que vivemos, mas não tem como manter as atividades e serviços de saúde à população sem que haja a correta contrapartida contratualmente estabelecida. A Fundação Altino Ventura (FAV) agradece a população de Arcoverde e as demais cidade do Sertão e Agreste, pelo carinho com que sempre acolheu nossas equipes de trabalho, que tanto fizeram pela população desta região ao longo de mais de 10 anos da unidade de Arcoverde", diz o texto.

Em nota, a SES-PE divulgou que repassou cerca de R$ 144,414 milhões de 2015 a 2018, sendo R$ 32,281 milhões este ano e lamentou a decisão da FAV. De acordo com a pasta, o contrato com a fundação ainda está vigente. "A Secretaria Estadual de Saúde (SES) lamenta a decisão da Fundação Altino Ventura em suspender, de forma unilateral e irresponsável, as atividades da unidade de Arcoverde", diz a nota.

A Secretaria de Saúde disse ainda que os moradores do Sertão do Moxotó não ficarão desassistidos. "A SES já vem trabalhando para implantar o atendimento oftalmológico na UPAE de Arcoverde. Em 2008, o Ministério da Saúde era responsável por 47% do gasto público com saúde na rede estadual, enquanto o Governo do Estado bancava 53%. Hoje, a participação do Governo Federal caiu para apenas 33% e a do Estado, que tem menor arrecadação, cresceu para 67%. Assim, a informação veiculada de que a Fundação não vem recebendo pagamentos do Governo do Estado é falsa", disparou.

Mais Lidas