menu

Câmara de Limoeiro rejeita CPI dos Transportes, que investigaria prefeitura

Sessão foi realizada na tarde dessa terça-feira
Foto: Alfredo Neto/Rádio Jornal Limoeiro

Os vereadores de Limoeiro, no Agreste de Pernambuco, reprovaram na sessão dessa terça-feira (4) a resolução que visava a instalação da Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) para investigar os contratos de locações de veículos e aquisição de combustíveis por parte da prefeitura da cidade. Para ser aprovada, a resolução precisaria de 8 votos, ou seja, maioria absoluta, o que representa cinquenta por cento da quantidade de vereadores da atual legislatura mais um.

Realizada a votação, a resolução foi reprovada. Apenas sete vereadores votaram favoráveis: José Higino (PP), Roberto Galvão (PSD), Daniel do Mercadinho (PTB), Marcos Sérgio (PSD), Luís Antônio (PTB), Ronaldo Morais (PTdoB) e Marquinhos Paz (PTB). Dois vereadores faltaram: Zélia de Ribeiro do Mel (Podemos) e Ciciu de Salobro (PP). O vereador Beto de Washington se absteve de votar, ou seja, ele estava no plenário, mas optou por não dar o voto. Foram contra a CPI os seguintes vereadores: Bau da Capoeira (PTB), Batalha dos Mendes (PSB), Jairo do Cedro (PSB) e Zózimo Albuquerque (PRB).

O presidente do Legislativo, Juarez Cunha (DEM), só votaria se os outros 14 vereadores tivessem comparecido e terminasse empate em 7 a 7, o chamado “voto de minerva”. Mas como o plenário não estava completo, o presidente não precisou votar. A decisão pela rejeição da CPI gerou grande repercussão nas redes sociais. Centenas de comentários negativos estão sendo postados contra os vereadores que optaram pela rejeição da investigação. Um abaixo assinado segue coletando a assinatura dos limoeirenses para pedir que a Polícia Federal (PF) investigue a atual gestão municipal.