Luto

Amigos lamentam morte de empresário de Serra Talhada e familiares

Ana Maria Miranda e Rafaela Santos
Ana Maria Miranda e Rafaela Santos
Publicado em 07/12/2018 às 14:49
NOTÍCIA
Leitura:

Empresário tinha uma loja de material de informática no centro de Serra Talhada-PE
Foto: Nilson Senna

Os amigos e vizinhos do empresário do ramo de informática João Batista Magalhães, 49 anos, de Serra Talhada, no Sertão de Pernambuco, lamentaram a morte dele e de quatro pessoas da família durante uma tentativa de assalto a duas agências bancárias no município de Milagres, no Ceará, na madrugada desta sexta-feira (7).

João Batista, o filho dele, Vinícius Magalhães, de 14 anos; a cunhada, identificada apenas como Claudineide; o marido dela, Cícero; e o filho do casal, Gustavo, foram feitos reféns pelos criminosos e mortos durante confronto entre os assaltantes e a polícia na cidade cearense.

A família voltava de Juazeiro do Norte (CE), onde João Batista e o filho foram buscar os familiares que tinham chegado de São Paulo para passar as festas de fim de ano em Serra Talhada.

Na cidade do interior de Pernambuco, que fica a 420 quilômetros da capital pernambucana, Recife, e tem cerca de 85 mil habitantes, o clima é de tristeza e de revolta. De tão abalados, familiares preferiram não falar com a imprensa. Amigos e vizinhos lamentaram a morte do empresário e de outras quatro pessoas da mesma família.

Familiares estavam abalados e preferiram não falar com a imprensa
Foto: Nilson Senna

O fotógrafo José Estevão, que foi criado junto com João Batista, encontrava com o amigo todas as manhãs em um espetinho próximo ao centro comercial. Ele descreve o empresário como brincalhão e diz que considerava ele como se fosse da família. "É uma coisa que a gente não acredita. Era um cara muito legal, a gente gostava muito dele", lamentou.

O policial civil Cornélio Pedro era amigo de infância do empresário, com quem convivia. "São pessoas trabalhadoras, pessoas de bem. A gente fica triste e chocado com essa tragédia. A gente procura uma explicação e não consegue [entender]", lamentou.

Comerciante Carlos Almeida trabalhava próximo à loja do empresário assassinado
Foto: Rafaela Santos

O comerciante Carlos Almeida, era colega de profissão de João Batista e acredita que toda a cidade ficou comovida com a morte do empresário. Ele desejou paz para a família. "A gente acha que a violência só pode acontecer com os outros, mas aconteceu com alguém próximo da gente", disse.

Os corpos das vítimas de Serra Talhada estão previstos para chegar na cidade por volta das 18h. Ainda não há informações sobre o velório e o enterro.

Entenda o caso

De acordo com a imprensa cearense, pelo menos 30 homens participaram da tentativa de assalto contra um agência bancária do Banco do Brasil e outra do Bradesco, na madrugada desta sexta-feira (7). O grupo chegou a fazer reféns, mas não conseguiu roubar dinheiro dos bancos. Durante confronto entre os assaltantes e a polícia, mais de 10 pessoas morreram, das quais quatro seriam criminosos e as outras reféns.

Mais Lidas