FUTEBOL

Ministro da Economia sinaliza final de patrocínio da Caixa para os clubes de futebol

Giliard
Giliard
Publicado em 08/01/2019 às 15:24
NOTÍCIA
Leitura:

Sport tem patrocínio da Caixa até 28 de fevereiro de 2019
Foto: Diego Nigro/JC Imagem

Paulo Guedes não forneceu detalhes, mas surgiu com a informação para retirar o patrocínios dos clubes. O Sport conta com o apoio da Caixa até o dia 28 de fevereiro de 2019

Importante investimento no futebol brasileiro, o patrocínio da Caixa Econômica deve ser cortado pelo atual governo federal nas próximas semanas. Quem falou sobre o assunto foi o ministro da economia, Paulo Guedes, durante cerimônia de posse do presidente da Caixa, Pedro Guimarães. Entre os clubes beneficiados pelo banco está o Sport, que teve o contrato renovado até o próximo dia 28 de fevereiro. O Leão deve receber cerca de R$ 2,8 milhões até o final da parceria.


Se a informação for confirmada, porém, a Caixa deixaria 25 clubes órfãos do benefício, o que culminaria em um prejuízo de pelo menos R$ 127 milhões. Em seu discurso, Paulo Guedes não falou sobre detalhes, mas surgiu com a proposta de cortar o investimento esportivo. "É possível fazer coisas 100 vezes melhores com menos recursos do que gastar com publicidade para o futebol", pontuou o ministro. Alguns clubes, inclusive, já estão trabalhando alternativas para suprir o orçamento da Caixa. Este é o caso de Cruzeiro e América-MG.


NO SPORT

A situação financeira do Sport também é bem delicada. Com três meses de salários atrasados, a nova gestão rubro-negra tem como prioridade acabar com as dívidas para iniciar a temporada de 2019 sem pedências financeiras. Apesar dos problemas com o orçamento e a possível saída da Caixa, o Leão prefere não se pronunciar sobre o assunto. O Sport não pode manifestar nada, porque não tem como especular. Não houve um comunicado formal sobre o encerramento do patrocínio, então não tem como avaliar uma situação que não é real até o momento, observou o vice-presidente rubro-negro, Carlos Frederico.

De acordo com o diretor de futebol Wanderson Lacerda, o clube não poder desperdiçar R$ 1,00 sequer. O Sport encara uma situação financeira que não pode perder um real. Se cair dinheiro no chão tem que pegar o dinheiro de volta e colocar no bolso, relatou o dirigente.

Via JC Online

Mais Lidas