MPPE

Prefeita de Passira firma TAC para pagar salários atrasados de 2012

Alfredo Neto
Alfredo Neto
Publicado em 08/01/2019 às 8:41
NOTÍCIA
Leitura:

Renya Carla assinou TAC junto ao MPPE
Foto: reprodução/Facebook

Os salários dos meses de novembro e dezembro de 2012 dos funcionários da Prefeitura Municipal de Passira serão pagos após 6 anos. A atual prefeita, Renya Carla (PP), assinou um Termo de Ajustamento de Conduta (TAC) perante o Ministério Público de Pernambuco (MPPE), assumindo o compromisso com os servidores públicos. De acordo com o MPPE, "a promotoria de Passira recebeu notícias de que o prefeito anterior não pagou os vencimentos dos servidores efetivos, ativos e inativos, deixando a dívida para a atual gestão".

O décimo terceiro salário dos servidores da Educação, referente ao ano de 2012, também estaria como débito pendente. Mas segundo o promotor Fabiano Beltrão, a atual gestora comprovou o pagamento do décimo terceiro de 2012. "Em relação ao vencimento dos dois últimos meses daquele ano, a prefeita de Passira assumiu o compromisso de honrar com os vencimentos, tendo dividido o débito em 31 parcelas a contar de janeiro de 2019", diz a nota divulgada no site do MPPE. Os atrasos foram gerados no final do segundo mandato do então prefeito Miguel Freitas (PP).

Em resposta ao contato da nossa reportagem, Renya Carla disse que quando o ex-prefeito Severino Silvestre (PSD) assumiu o mandato, em 2013, o dinheiro estava em caixa, porém, bloqueado judicialmente. Ainda segundo a prefeita, o desbloqueio foi realizado, mas Silvestre não realizou o pagamento como era aguardado pelos servidores. Renya contou ainda que, com o passar dos anos foi feito um TAC, dividindo os dois salários atrasados em 35 parcelas. Silvestre teria efetuado o pagamento de 18 e parou, descumprindo o TAC.

Mais Lidas