Crime

Furto de água é constatado na Adutora de Afogados-Tabira, no Sertão

Ana Maria Santiago de Miranda
Ana Maria Santiago de Miranda
Publicado em 17/01/2019 às 9:38
NOTÍCIA
Leitura:

Furto de água foi identificado na cidade de Tabira, no Sertão
Foto: divulgação/Compesa

A Companhia Pernambucana de Saneamento (Compesa) realizou uma ação de fiscalização ao longo da Adutora de Afogados-Tabira, no Sertão do Estado, que abastece a região. A ação foi motivada após a companhia identificar uma queda significativa no volume de água na chegada em Tabira. A adutora, que tem 20 quilômetros de extensão de Tabira a Afogados da Ingazeira, está sendo percorrida pela Compesa. No trecho, há cerca de 300 imóveis comerciais e residenciais às margens da PE-320, que também serão vistoriados.

Durante a fiscalização, as equipes identificaram uma ligação clandestina no Sítio São Joaquim, em uma chácara utilizada para lazer na zona rural de Afogados, onde há piscinas, bicas e um bar. As tubulações foram retiradas na entrada da propriedade e um boletim de ocorrência foi registrado para que a polícia investigue o caso.

Além desta, foram encontradas outras três ligações clandestinas, um desvio de medição e uma residência que estava irregularmente abastecendo a casa vizinha. As pessoas responsáveis serão multadas pela Compesa. Já o dono do imóvel que estava abastecendo o vizinho foi notificado e se a irregularidade persistir, passará a pagar pelo consumo de duas economias.

De acordo com a Compesa, a principal causa da redução de 10% da vazão de água tratada transportada para Tabira deve-se aos furtos de água. Só a ligação encontrada no Sítio Joaquim corresponde a um terço do volume de água furtado da Adutora Afogados-Tabira. "Como reduziu a quantidade de água que chega na cidade, fomos obrigados a aumentar o rodízio de abastecimento", lamentou o coordenador da Compesa em Afogados da Ingazeira, Washington Jordão. A companhia atende 29 mil pessoas em Tabira.

Mais Lidas