#10YEARSCHALLENGE

Mães de desaparecidos aderem ao #10yearschallenge e mostram como filhos seriam hoje

Giliard
Giliard
Publicado em 05/02/2019 às 17:39
NOTÍCIA
Leitura:

Mães de desaparecidos aderem ao #10yearschallenge e mostram como filhos seriam hoje
Foto: Reprodução/Instagram

O movimento Mães da Sé, que, em todos os segundos domingos do mês, reúne na Praça da Sé, no centro de São Paulo, mulheres com cartazes com fotos de seus filhos desaparecidos, também aderiu ao #10yearschallenge (desafio dos dez anos), hashtag que viralizou nas redes sociais com fotos comparando a aparência dos internautas em 2009 e 2019. No caso do Mães da Sé, o desafio tem um significado ainda maior do que uma simples brincadeira virtual: são comparadas fotos dos filhos com a idade em que desapareceram com imagens digitais de como seria a aparência deles neste ano para ajudar na localização deles.

A corrente, publicada no Instagram @maesdase, não usa, necessariamente, comparações de fotos atuais com imagens de dez anos atrás. Muitas vezes o nosso desafio é de muitos anos atrás, diz um dos posts que pede ajuda para localizar Rogério Bispo, desaparecido há 37 anos. Para não se limitar às buscas de quem desapareceu apenas em 2009, o nome do desafio foi adaptado para #XXyearschallenge. A fami´lia do Tiago não pode dizer como ele cresceu. Compartilhe #XXyearchallenge e ajude a encontrá-lo, afirma outra publicação que solicita ajuda para encontrar um garoto desaparecido em 1996.

O Movimento

O movimento Mães da Sé faz parte da Associação Brasileira de Busca e Defesa a Crianças Desaparecidas (ABCD), fundada em 1996 em São Paulo por Ivanise Esperidião da Silva e Vera Lúcia Gonçalves, mães de crianças desaparecidas. A entidade busca articular, com os setores públicos e privados, a busca do paradeiro de pessoas desaparecidas com ênfase nas crianças e adolescentes.

Via Blog O Social

Mais Lidas