Saúde

MPPE recomenda ajustes às condições de funcionamento da UPA de Santa Cruz do Capibaribe

Ana Maria Santiago de Miranda
Ana Maria Santiago de Miranda
Publicado em 13/02/2019 às 12:06
NOTÍCIA
Leitura:

MPPE deu prazo de 30 dias para ajustar as condições da unidade
Foto: divulgação/Prefeitura de Santa Cruz Capibaribe

O Ministério Público de Pernambuco (MPPE) recomendou ao poder público de Santa Cruz do Capibaribe, no Agreste de Pernambuco, que promova ações, no prazo de 30 dias, para ajustar as condições de funcionamento da Unidade de Pronto Atendimento (UPA) José Vieira Filho, nessa terça-feira (12).

Segundo o promotor de justiça Lúcio Malta Cabral, o Conselho Regional de Enfermagem de Pernambuco instaurou processo administrativo de fiscalização e promoveu três inspeções na unidade, sendo uma em 2016 e duas em 2017. Nessas inspeções foram encontradas diversas irregularidades, sobretudo em relação ao trabalho dos profissionais de enfermagem. Em 2019, o conselho promoveu mais uma visita ao local, tendo encontrado irregularidades técnicas e sanitárias, conforme a publicação.

Ainda segundo a publicação, o MPPE recomendou que o prefeito e o secretário de Saúde providenciem a organização da Central de Material Esterilizado da UPA, para evitar o uso de papel seda para processamento de gazes; a criação de mecanismos para dedetização de moscas e outros insetos, procedendo com a limpeza dos ambientes; o cumprimento da NR 32 (Plano de Prevenção de Riscos de Acidentes com Materiais Perfuro Cortantes), já que foram encontradas caixas improvisadas acondicionando materiais cortantes, sem qualquer tipo de zelo; e a aquisição ou troca da mobília utilizada para armazenamento dos materiais e medicamentos.

O promotor de Justiça orientou que a Prefeitura instale recipientes para armazenamento de sabão e papel toalha nas pias; promova a troca de lixeiros, de modo que seja feita a devida separação dos rejeitos de material biológico em sacos brancos; providencie a Anotação de Responsabilidade Técnica dos Enfermeiros; promova a manutenção dos equipamentos da unidade; e estabeleça uma escala com profissionais de saúde na Sala de Reanimação, a fim de sempre ter alguém presente nesse serviço hospitalar, finalizou a publicação.

Por meio de nota a prefeitura de Santa Cruz do Capibaribe, através da Secretaria de Saúde informou que não recebeu nenhuma recomendação do MPPE. A nota diz ainda que o poder público municipal está promovendo melhorias na unidade, tanto no atendimento ao público como também na melhoria do trabalho desenvolvido pelos profissionais que atuam nesta casa de saúde pública.

Mais Lidas