Providências

Polícia visita escola após ameaças de ataque em Juazeiro e Petrolina

Ana Maria Santiago de Miranda
Ana Maria Santiago de Miranda
Publicado em 19/03/2019 às 8:49
NOTÍCIA
Leitura:

Computadores, jogos e celulares foram apreendidos na casa de ex-aluno de um dos colégios
Foto: divulgação/Polícia Civil

A Polícia Civil de Juazeiro (BA) está tomando providências sobre mensagens que estavam sendo compartilhadas em grupos de WhatsApp de que iria ocorrer um ataque semelhante ao de Suzano (SP), que deixou oito pessoas mortas, nos colégios Modelo Luís Eduardo Magalhães, em Juazeiro, e Humberto Alves, na cidade vizinha, Petrolina, no Sertão pernambucano.

A polícia revelou que um ex-aluno do colégio Modelo teria começado as conversas. Na noite de domingo (17), ele teria agredido um adolescente de 15 anos que teria ido tomar satisfação sobre as mensagens. O pai do suspeito, que é guarda municipal de Juazeiro, teria segurado e ameaçado o adolescente.

Uma equipe da Polícia Civil esteve na casa do suspeito e apreendeu computadores, jogos, aparelhos celulares e uma máscara preta. Ele e o pai, que foi apresentado pela Guarda Municipal, serão ouvidos, assim como o adolescente vítima da agressão e outras pessoas que estavam no mesmo grupo de WhatsApp.

"Se alguém aí tá estudando no modelo não vá segunda", dizia a mensagem
Foto: divulgação/Polícia Civil

"Já fui à escola Modelo Luís Eduardo Magalhães, conversei com diretores e vice-diretores e também com os alunos, no sentido de tranquilizá-los. Todos serão ouvidos, todas as providências de polícia judiciária já estão sendo adotadas. Vou participar de reunião com os pais para esclarecer algumas situações e tranquilizá-los", detalhou a delegada de Juazeiro, Lígia Nunes.

A Delegacia de Juazeiro instaurou um termo circunstanciado de ocorrência de lesão corporal e ameaça e outro de apologia ao crime e ameaça contra os suspeitos. O caso continua sob investigação.

Mais Lidas