POLÍTICA

Ministro decreta bloqueio das redes sociais de críticos do STF

Giliard
Giliard
Publicado em 16/04/2019 às 15:19
NOTÍCIA
Leitura:

O ministro do Supremo Tribunal Federal Alexandre de Morais
Foto: Wilson Dias/Agência Brasil

O Supremo Tribunal Federal estabeleceu o bloqueio de contas das redes sociais de sete pessoas que são investigadas por publicarem ofensas contra o tribunal. A decisão foi tomada pelo ministro Alexandre de Moraes, que afirma que foram identificadas mensagens com conteúdo de ódio dirigido ao STF. Mandados de busca e apreensão foram expedidos contra os autores no Distrito Federal, em Goiás e em São Paulo nesta terça-feira (16).

A medida é resultado de uma investigação instaurada dia 14 de março, a pedido do presidente da Corte, ministro Dias Toffoli. O objetivo do inquérito é relatar e apurar notícias falsas, denúncias caluniosas e ameaças que atingem o respeito e a segurança de membros e familiares do STF.

Um policial civil de Goiás entrou no alvo do Supremo após postar mensagens contra a corte. O nosso STF é bolivariano, todos alinhados com os narcotraficantes e corruptos do país. Vai ser a fórceps, disse um dos posts do suspeito. O Peru fechou a corte suprema do país. Nós também podemos. Pressão total contra o STF, ameaçou o policial em outra publicação.

Segundo o ministro do Supremo, um dos alvos de investigação é o general Paulo Chagas, que fez postagens nas redes sociais de propaganda de processos violentos ou ilegais para a alteração da ordem política e social com repercussão entre seguidores.

Após o cumprimento do mandado, o general Paulo Chagas ironizou em seu twitter:

No mandado, a ordem é para a Polícia Federal apreender todos os dispositivos eletrônicos encontrados nas casas dos suspeitos e que colha depoimentos de todos os alvos da operação.

Mais Lidas