Fundação de Cultura

MPCO pede rejeição de contas por causa do São João de Caruaru 2017

Também foi pedida a rejeição de contas de assessores e pessoas ligadas à Fundação de Cultura

Ana Maria Santiago de Miranda
Ana Maria Santiago de Miranda
Publicado em 14/06/2019 às 19:08
NOTÍCIA
Divulgação/Prefeitura de Caruaru
FOTO: Divulgação/Prefeitura de Caruaru
Leitura:

O Ministério Público de Contas de Pernambuco (MPCO) apresentou um recurso ao Tribunal de Contas do Estado (TCE) para que as contas da prefeita de Caruaru, Raquel Lyra (PSDB), sejam rejeitadas. O motivo é a edição de 2017 do São João da cidade. De acordo com o MPCO, também foi pedida a rejeição de contas de assessores e pessoas ligadas à Fundação de Cultura.

No pedido, o procurador Cristiano Pimentel trata sobre a contratação da empresa Branco Promoções. Ele alega que o TCE e o Ministério Público de Pernambuco (MPPE) já tinham recomendado em anos anteriores a mudança da formatação jurídica do São João.

"As irregularidades são graves e atentam contra os princípios da administração pública", afirmou o procurador Cristiano Pimentel. O MPCO pede ainda que seja imposta uma "nota de improbidade" nas contas de Raquel Lyra.

Resposta da prefeitura

Por meio de nota, a Prefeitura de Caruaru informou que ainda não foi notificada, mas frisou que todas as contas da Fundação de Cultura e Turismo de 2017 foram aprovadas pelo Tribunal de Contas do Estado.

Mais Lidas