Comoção

Centenas de pessoas acompanham cortejo de sargento em Palmares

Sargento Moacir Moreira, 47 anos, morreu após passar 18 dias internado

Ana Maria Santiago de Miranda
Ana Maria Santiago de Miranda
Publicado em 22/07/2019 às 9:38
NOTÍCIA
Reprodução/TV Jornal Interior
FOTO: Reprodução/TV Jornal Interior
Leitura:

Centenas de pessoas participaram do cortejo fúnebre do sargento da Polícia Militar Moacir Moreira, 47 anos, no sábado (20) em Palmares, na Zona da Mata Sul de Pernambuco. Ele morreu depois de passar 18 dias internado no Hospital Regional do Agreste (HRA), em Caruaru, no Agreste, após ser baleado durante uma troca de tiros com assaltantes em Santa Cruz do Capibaribe, também no Agreste, no dia 1º de julho deste ano.

O corpo foi levado em um carro do Corpo de Bombeiros pelas ruas de Palmares. No cemitério, familiares, amigos e colegas de farda estavam muito comovidos com a forma como o sargento morreu. O soldado André Silva, 32 anos, que também faleceu na mesma ocorrência no último dia 1º, foi lembrado durante as homenagens. Os membros do 24º Batalhão da Polícia Militar, onde eles atuavam, fizeram uma oração para ambos.

"Meu filho é o melhor filho do mundo. Agradeço a todos que oraram e ainda estão orando por ele", disse a mãe do sargento, Marluce Rodrigues. O primo Robson Cabral lembrou da força de Moacir: "Ele fez um juramento na carreira dele, e morreu lutando porque ele acreditava, defendia a sociedade".

Sargento Moacir Moreira, 47 anos, não resistiu e faleceu nesta sexta-feira
Sargento Moacir Moreira, 47 anos, não resistiu e faleceu nesta sexta-feira
Reprodução/NE10 Interior

O corpo do sargento chegou antes das 16h no cemitério e as honras militares foram realizadas. Amiga da família, Cristiane Melo lamenta ter que dar adeus a Moacir no Dia do Amigo: "Que ele descanse em paz".

O major Edson Oliveira, membro da assessoria de imprensa da PM, lamentou o fato de o sargento não ter resistido. "Nós policiais militares estamos para defender a sociedade, e ele lutava pela segurança da população, pela vida das pessoas. Nesses últimos dias, ele lutou pela própria vida", disse.

O deputado estadual Joel da Harpa também esteve no enterro e aproveitou para pedir melhores condições de trabalho para os policiais: "É preciso que a sociedade chame a atenção do poder público, sobretudo do Poder Executivo, que possa trazer mais investimentos para a segurança pública, e que esses investimentos sejam sobretudo no profissional, que está entregando sua vida em prol da sociedade".

Relembre o caso

No dia 1º de julho, os criminosos tinham realizado um assalto a uma casa lotérica e um mercadinho no bairro Dona Lica e foram perseguidos pelo soldado André Silva e pelo sargento Moacir Moreira. Após dobrar uma esquina, quatro assaltantes desceram do veículo e começaram a disparar contra a viatura, que ficou marcada por vários tiros.

Três dos quatro envolvidos foram mortos em uma ação que deixou oito suspeitos de envolvimento em uma quadrilha de assaltos a bancos em Barra de São Miguel, na Paraíba, no dia seguinte. O quarto envolvido na morte dos policiais e nono membro da quadrilha continua foragido.

Mais Lidas