Investigação

Polícia faz reconstituição da morte de adolescente em Alagoinha

Inquérito será reencaminhado ao Ministério Público, para que a promotoria decida se vai denunciar os suspeitos ou não

Ana Maria Santiago de Miranda
Ana Maria Santiago de Miranda
Publicado em 31/07/2019 às 12:42
NOTÍCIA
Reprodução/Arquivo Pessoal
FOTO: Reprodução/Arquivo Pessoal
Leitura:

A Polícia Civil realizou na manhã desta quarta-feira (31) a reconstituição do assassinato de Evelyn Sabrina Vieira da Silva, de 15 anos, assassinada no dia 2 de setembro do ano passado na cidade de Alagoinha, no Agreste de Pernambuco.

Evelyn estava conversando com um amigo em frente à casa da avó dela, após voltar de uma festa, quando dois homens chegaram em uma motocicleta e efetuaram os disparos. A suspeita da polícia é de que o alvo era o amigo da adolescente.

Quem acompanhou a reconstituição foi o delegado João Carlos, que assumiu as investigações interinamente. De acordo com ele, os suspeitos, que estão presos, foram ouvidos de forma informal, além de uma testemunha crucial do caso.

"Nós vamos fazer alguns posicionamentos e tentar confrontar com algumas imagens que a gente possui e alguns relatos para tentar fazer a identificação e a aproximação, para saber se a testemunha tinha como visualizar os envolvidos e identificá-las", explicou o delegado.

Suspeitos negam participação

Os dois suspeitos, identificados como Edijan Leite Vasconcelos e Gefferson Oliveira Paes, foram presos em junho deste ano. Porém, tanto nos depoimentos depois da prisão como agora, eles negam participação.

"Eles admitem que estavam na vaquejada, mas um diz que permaneceu lá e dormiu em um caminhão, o outro disse que foi para um sítio", contou o delegado. Estas informações serão averiguadas por meio da localização por satélite do celular de ambos, solicitadas pelo promotor de Justiça do caso.

Até o término do prazo da prisão temporária dos suspeitos, que já foi renovada, o caso continuará sendo investigado. O inquérito será reencaminhado ao Ministério Público, para que a promotoria decida se vai denunciá-los ou não.

Mais Lidas