Economia

28º Rodada de Negócios supera expectativas e gera cerca de R$ 22 milhões

Evento realizado no Polo Caruaru trouxe bons negócios para expositores e compradores

Marília Pessoa
Marília Pessoa
Publicado em 08/08/2019 às 10:59
NOTÍCIA
Divulgação
FOTO: Divulgação
Leitura:

A 28ª Rodada de Negócios da Moda Pernambucana (RNMP) superou as expectativas e gerou cerca de R$ 22 milhões em negócios. O evento, realizado no Polo Caruaru, no agreste pernambucano, é um projeto da Associação Comercial e Empresarial de Caruaru (Acic)e do Sebrae.

Mesmo com perspectivas de recuperação lenta para a economia do país, o projeto conseguiu alcançar a marca de aproximadamente R$ 22 milhões em negócios imediatos. Para o presidente da Acic, Luverson Ferreira, os números demonstram que o evento conseguiu reposicionar a imagem do Polo de Confecções do Agreste no mercado. “A Rodada de Negócios cumpre o seu papel de fomentar a economia do nosso Polo, garantindo vendas para os confeccionistas da região até o final deste ano e início do próximo, quando teremos mais uma edição”.

A 28ª RNMP já havia ultrapassado o número de expositores da última edição em 15%, antes de mesmo de começar, com 162 fornecedores de vestuário, calçados e acessórios dos estados de diversos estados. Outra novidade da edição foi a participação de nove marcas caruaruenses através do programa Caruaru Moda Mundo.

O empresário Paulo César Valeriano da Adizza destaca sua experiência positiva. “Foram seis meses de preparação pelo Caruaru Moda Mundo. Nesse período, tivemos consultoria e acompanhamento para nos prepararmos para um evento desse tamanho. Após o evento, teremos acompanhamento por mais dois meses para garantir que todas as vendas feitas sejam entregues conforme combinado com o cliente. A participação no programa foi bastante exitosa, fomos orientados para participar da Rodada de Negócios da melhor maneira possível, tirando o máximo proveito dessa oportunidade”, afirma.

Expositores aprovam

Os expositores veteranos contam que a Rodada de Negócios impulsionou a competitividade de suas marcas e auxiliou o contato com os clientes. “O evento traz até nós compradores de todos os estados que se transformam em importantes parceiros para o negócio. Em relação às vendas, os resultados também foram ótimos. Por isso, não deixamos mais de participar”, explicou o empresário Manoel Marreiro.

Os compradores também puderam fazer bons negócios. O paranaense Nasser Hammold, que participou pela décima vez do evento, comentou que o aumento do número de expositores fez com que ele comprasse mais do que havia previsto. “Geralmente, extrapolamos nas compras, porque acabamos sempre encontrando um produto que chama a atenção e depois mais outro. Como o evento cresceu e aumentou a quantidade de fornecedores, atendendo aos compradores que sempre estão em busca de mais variedade, nessa edição ficamos mais tempo e acabamos gastando mais”, contou ele.

Mais Lidas