menu

Pais de Beatriz Mota estão na expectativa para reunião com Paulo Câmara

Conversa será realizada na próxima segunda-feira no Palácio do Campo das Princesas

A menina Beatriz Angélica Mota foi assassinada com 42 facadas em dezembro de 2015
Beatriz foi morta com 42 facadas em dezembro de 2015 (Reprodução/ Facebook)

Lucinha Mota e Sandro Romilton, pais da menina Beatriz Angélica Mota, que foi assassinada em dezembro de 2015 em Petrolina, no sertão, estão na expectativa para a reunião com o governador Paulo Câmara. A conversa será realizada na próxima segunda-feira (26), no Palácio do Campo das Princesas, no Recife, com o objetivo de tratar sobre o andamento do caso.

Os pais da menina estiveram presentes no Seminário "Todos por Pernambuco", que contou com a presença do governador Paulo Câmara. A participação deles foi uma forma de pressionar o governo do estado sobre a solução do caso, que até hoje está sem respostas.

Segundo o governador, o caso está sendo priorizado. "Há uma grande priorização dessa questão. Evidentemente que demora. Uma elucidação preocupa a todos, a gente se solidariza sempre com a família. Marcamos na próxima semana uma conversa com todas as partes para atualização das questões e das próximas providências que vão precisar ser tomadas", explicou.

Lucinha, a mãe da criança, falou que há uma grande expectativa para a realização de uma audiência na Comissão de Direitos Humanos da Câmara Federal, que está prevista para outubro. Ela informou que fez diversas denúncias, inclusive à Polícia Civil do estado.

Relembre o caso

Beatriz Mota, de 7 anos, foi morta com 42 facadas no dia 10 de dezembro de 2015, dentro de uma sala desativada do colégio em que estudava., enquanto estava sendo realizada a festa de formatura da irmã mais velha da criança. Em um dado momento na festa, a menina afastou-se dos pais para beber água e não voltou mais. O corpo foi encontrado cerca de 30 minutos depois.