Saúde

Saiba se você precisa se vacinar contra o sarampo

Tríplice viral está disponível de forma rotineira nas salas de vacina dos municípios

Ana Maria Santiago de Miranda
Ana Maria Santiago de Miranda
Publicado em 28/08/2019 às 19:42
NOTÍCIA
Reprodução/TV Jornal Interior
FOTO: Reprodução/TV Jornal Interior
Leitura:

Os casos de sarampo registrados em vários estados do Brasil reacenderam a importância da imunização contra a doença. A vacina tríplice viral protege, além do sarampo, contra a rubéola e a caxumba e está disponível de rotina nas salas de vacina dos municípios. De acordo com a Secretaria Estadual de Saúde (SES), é preciso finalizar o esquema vacinal.

A imunização da tríplice viral deve seguir o seguinte esquema:

- Crianças entre 6 meses e menores de 1 ano devem tomar uma dose da tríplice viral. É importante ressaltar que essas crianças precisarão seguir o esquema normal de imunização a partir dos 12 meses;

- Pessoas de 12 meses a 29 anos de idade: 2 doses de tríplice viral;

- Pessoas de 30 a 49 anos de idade não vacinados: 1 dose de tríplice viral;

- Profissionais de saúde não vacinados: 2 doses com a vacina tríplice viral independente da idade, com intervalo mínimo de 30 dias entre elas.

De acordo com a SES, na semana passada a vacinação de crianças entre seis meses e 11 meses ficou instituída em todo o País. Esta será considerada a "dose zero" da vacina e é necessário seguir com o esquema básico de vacinação normalmente a partir dos 12 meses, com mais uma dose e um reforço aos 15 meses.

Sintomas

Pacientes que apresentem febre e exantema maculopapular morbiliforme de direção cefalocaudal (manchas avermelhadas que começam na cabeça e vão descendo para o restante do corpo), acompanhados de tosse e/ou coriza e/ou conjuntivite, podem ser considerados casos suspeitos de sarampo. As pessoas que tiverem viajado para locais com circulação do vírus nos últimos 30 dias ou contato com alguém que viajou para local com circulação viral também devem ser observadas. É preciso ir ao posto de saúde mais próximo para receber a assistência necessária.

Números

Até a última segunda-feira (26), foram notificados 337 casos de sarampo em Pernambuco. Deste total, 86 já foram descartados, 246 estão em investigação e cinco foram confirmados. A SES ressalta que os três municípios de residência dos pacientes, com o apoio das Gerências Regionais de Saúde (SES-PE) e o nível central, realizaram 53 ações de bloqueio vacinal dos contatos, totalizando 1.853 doses aplicadas da tríplice viral, que, além do sarampo, ainda protege contra a caxumba e a rubéola.

Das cinco confirmações em laboratório, quatro (duas no Recife e duas em Caruaru) estão relacionadas a adolescentes que participaram de uma excursão para Porto Seguro, entre o fim de junho e início de julho, e que tiveram contato com um paciente positivo de São Paulo. O quinto caso é de um adolescente de 18 anos de Taquaritinga do Norte.

Pernambuco não registra casos autóctones (transmissão sustentada por um período acima de 1 ano) do sarampo desde 2000 - em 1999 foram registradas as últimas 240 ocorrências. Em 2012 houve 1 caso importado e entre 2013 e 2014 um surto com 226, que foi controlado com as ações de vigilância epidemiológica e imunização do Estado e municípios envolvidos.

Mais Lidas