menu

Manchas de óleo chegam à praia de Japaratinga, em Alagoas

Prefeitura, órgãos ambientais e moradores estão fazendo mutirão para amenizar situação

Manchas de óleo chegam à praia de Japaratinga, em Alagoas
Manchas de óleo chegam à praia de Japaratinga, em Alagoas (Reprodução/TV Jornal Interior)

As manchas de óleo que estão afetando o litoral da região Nordeste chegaram até a praia de Japaratinga, no litoral norte de Alagoas. Elas foram vistas por moradores e por pessoas que trabalham em Japaratinga.

O Ministério do Meio Ambiente monitora o litoral do Brasil há mais de 40 dias. De acordo com o órgão, os laudos da Petrobrás comprovam que o óleo tem origem da Venezuela, mas a investigação para apurar onde ele teria vazado ainda não terminou.

A Prefeitura de Japaratinga, em conjunto com órgãos ambientais e a população, estão fazendo um mutirão para tentar amenizar a situação nas praias da cidade.

Veja o vídeo:

Manchas de óleo chegam à praia de Japaratinga, em Alagoas

  • 17/10/2019 10:08
As manchas de óleo que estão afetando o litoral da região Nordeste chegaram até a praia de Japaratinga, no litoral norte de Alagoas. Elas foram vistas por moradores e por pessoas que trabalham em Japaratinga. 57 segundos

Sobre as manchas

Manchas de petróleo tem surgido em praias do Nordeste e impressionado turistas em pelo menos 109 locais. O caso vem acontecendo desde o início de setembro e a substância tem sido avistada em pelo menos nove estados da região. A única exceção é o estado da Bahia. De acordo com o Ministério do Meio Ambiente, a substância é hidrocarboneto, derivado de petróleo.

Em Pernambuco, as manchas foram avistadas nas praias de Boa viagem, no Recife; Candeias, em Jaboatão dos Guararapes; Gamboa, em Ipojuca; Del Chifre, em Olinda; Ilha de Cocaia e Paiva, em Cabo de Santo Agostinho; Carneiros e Tamandaré. Tartarugas e outros animais marinhos foram afetados. No início de Setembro, foi encontrado um Golfinho morto na praia de Tamandaré, no litoral sul de Pernambuco. A ligação entre o caso e as manchas ainda não foi investigada, entretanto, o animal apresentava piche ao redor do corpo.

Conforme informações divulgadas pela revista Época, um laudo sigiloso teria sido encaminhado para o Ibama pela Petrobras, apontando que a mancha seria de Petróleo da Venezuela.