menu

Cerca de 71 toneladas de óleo já foram retiradas de praias de PE

Força tarefa no litoral pernambucano atua para retirar manchas de óleo

Visão da Praia dos Carneiros, em Tamandaré
A praia dos Carneiros, em Tamandaré, foi uma das praias atingidas pelas manchas de óleo (Bruno Cezar)

O trabalho de limpeza e prevenção das praias do Litoral pernambucano atingidas pelas manchas de óleo continua. Segundo informações do Governo do estado de Pernambuco, já foram coletadas 71 toneladas de óleo. Além de São José da Coroa Grande, Tamandaré, Sirinhaém, Barreiros, Rio Formoso e Ipojuca, também foram localizadas nesse domingo (20) manchas em Cabo de Santo Agostinho, nas praias de Itapuama e Pedra Xaréu, e na praia de Ilha Cocaias, em Suape.

A Sala de Situação, criada pelo governador Paulo Câmara para tratar exclusivamente do assunto, comanda ações juntamente com a Secretaria Estadual de Meio Ambiente e Sustentabilidade, Defesa Civil, Corpo de Bombeiros e Agência Estadual de Meio Ambiente - CPRH. A equipe do governo estadual aumentou de 200 para 400 o número de pessoas de diversos órgãos para auxiliar no trabalho. Além dessa mobilização, mais 350 pessoas fizeram parte das ações de limpeza das praias afetadas.

Das 71 toneladas recolhidas, 60 foram encaminhadas ao Centro de Tratamento de Resíduos (CTR), em Igarassu, para o descarte correto. O CTR Pernambuco estendeu o horário de funcionamento neste final de semana para receber a coleta especial a pedido do governo estadual.

O secretário estadual de Meio Ambiente e Sustentabilidade, José Bertotti, voltou a cobrar que o Governo Federal supra as necessidades do Plano Nacional de Contenção de Vazamento de Óleo. “O Governo Federal ainda não conseguiu identificar a origem do vazamento, mas precisamos que, efetivamente, sejam disponibilizados todos os equipamentos necessários para realizarmos o processo de contenção”, destaca.

Nesse domingo (20), a Justiça Federal expediu decisão que obriga a União a cumprir o previsto no Plano de Contenção de Desastres Ambientais, assumindo a parte que lhe cabe no trabalho de combate ao vazamento de óleo no litoral pernambucano.

Foi estipulado um prazo de 24 horas para que o Governo Federal implante barreiras de proteção, monitore ecossistemas e providencie equipamentos de proteção para os voluntários, além de ajudar no resgate à fauna e flora atingidos. O descumprimento das ordens acarretará na multa diária de R$ 50 mil.

Manchas de óleo

Manchas de petróleo surgiram em praias do Nordeste e impressiona turistas em pelo menos 109 locais. O caso vem acontecendo desde o início de setembro e a substância tem sido avistada em pelo menos nove estados da região. A única exceção é o estado da Bahia. De acordo com o Ministério do Meio Ambiente, a substância é hidrocarboneto, derivado de petróleo.

Em Pernambuco, as manchas foram avistadas nas praias de Boa viagem, no Recife; Candeias, em Jaboatão dos Guararapes; Gamboa, em Ipojuca; Del Chifre, em Olinda; Ilha de Cocaia e Paiva, em Cabo de Santo Agostinho; Carneiros e Tamandaré. Tartarugas e outros animais marinhos foram afetados. No início de Setembro, foi encontrado um Golfinho morto na praia de Tamandaré, no litoral sul de Pernambuco. A ligação entre o caso e as manchas ainda não foi investigada, entretanto, o animal apresentava piche ao redor do corpo. Conforme informações divulgadas pela revista Época, um laudo sigiloso teria sido encaminhado para o Ibama pela Petrobras, apontando que a mancha seria de Petróleo da Venezuela.