menu

Família de brasileira que morreu na Bolívia ainda não conseguiu trazer corpo

Motivo é impasse político que o país vivencia, após a reeleição de Evo Morales

Luciana Suelen Gomes Vieira, 32 anos, morreu em Santa Cruz de La Cierra, na Bolívia
Luciana Suelen Gomes Vieira, 32 anos, morreu em Santa Cruz de La Cierra, na Bolívia (Reprodução/TV Jornal Interior)

Após quase uma semana da morte da estudante pernambucana Luciana Suelen Gomes Vieira, 32 anos, em Santa Cruz de La Cierra, na Bolívia, a família dela ainda não conseguiu trazer o corpo para o Brasil. Luciana morreu no último domingo (20) em decorrência de complicações de um tumor no cérebro. Ela morava na família há quatro anos com o marido.

Inicialmente, a dificuldade da família era arrecadar o valor de R$ 12 mil (USD 3 mil) para fazer o traslado do corpo. Porém, mesmo após conseguir o dinheiro, ainda não foi possível fazer o transporte.

O motivo é o impasse político enfrentado pela Bolívia com a reeleição do presidente Evo Morales, que gerou uma onda de protestos no país. Vários órgãos estão em greve e por isto o corpo da estudante ainda não foi liberado. O marido e o filho de Luciana retornaram para o Brasil e um amigo dela acompanha a situação para fazer a liberação do corpo de Luciana.

Relembre o caso

Natural de Caruaru-PE, a estudante será sepultada na cidade. Luciana morava há quatro anos com o marido na Bolívia, com o objetivo de realizar o sonho de ser médica. Lá também concretizou o desejo de ser mãe. Porém, durante uma visita ao Brasil, apresentou fortes dores de cabeça, tonturas e até desmaios.

Quando voltou para a Bolívia, ela passou mal e foi levada para um hospital do país vizinho. O médico pediu uma tomografia e foi constatado que ela estava com hidrocefalia. Depois do diagnóstico, Luciana precisou passar por uma cirurgia de emergência, quando foi identificado um tumor. Pouco depois, ela sofreu um ataque cardíaco e não resistiu.