menu

Ambulantes de Caruaru reclamam de incertezas sobre mudança

Vendedores devem deixar postos de trabalho até o fim do mês

Comércio na Praça tem o objetivo de requalificar o centro de Caruaru
Comércio na Praça tem o objetivo de requalificar o centro de Caruaru (Reprodução/TV Jornal Interior)

Os ambulantes de Caruaru, no Agreste de Pernambuco, estão insatisfeitos com o cenário de incertezas. Eles receberam a informação de que teriam que deixar seus postos de trabalho em pontos do centro da cidade para a Praça Leocárdio Porto e o Largo dos Guararapes nesta terça-feira (29), entretanto, nada mudou.

De acordo com representantes da categoria, um grupo se reuniu com a secretária de Ordem Pública, Karla Vieira, que informou que a mudança será na próxima quinta (31). Porém, os ambulantes reivindicam que o prazo seja estendido até o fim do ano. Além disto, reclamam dos espaços designados pela prefeitura.

Entre os problemas apontados pelos ambulantes estão o telhado, que não protegeria toda a área do sol e da chuva e o tamanho do espaço para comercializar, que seria pequeno. Além disto, os vendedores não aceitam que parte dos comerciantes saiam das áreas apontadas e outros não.

O ambulante Nero da Silva acredita que a situação é delicada. "São muitas dúvidas, a gestão não nos dá um posicionamento, se a gente vai ficar até o dia 31. Espero que sim. As pessoas já não estão nem colocando mercadorias", afirmou. "A gente não está investindo em mercadoria com medo porque ninguém sabe se a gente vai ficar até o dia 31", revelou a ambulante Elaine Roberta.

Pela manhã, os ambulantes voltaram ao MPPE e marcaram uma nova reunião com a promotora Gilka Miranda para esta quarta-feira (30), às 10h, para tentar resolver o impasse. À tarde, a categoria acompanhou a sessão da Câmara de Vereadores. Alguns parlamentares prestaram apoio às solicitações.

Comércio na Praça

As mudanças fazem parte do projeto "Comércio na Praça", desenvolvido pela Prefeitura de Caruaru como parte da requalificação do centro da cidade. Atualmente, cerca de 800 ambulantes atuam em 28 ruas monitoradas pela fiscalização.