menu

Após vencer câncer, mãe luta ao lado da filha com a doença

A costureira Jandira Anita e a dona de casa Ana Paula dividem a história de luta contra o câncer

Jandira e Ana Paula se apoiam uma na outra durante o tratamento
Jandira e Ana Paula se apoiam uma na outra durante o tratamento (Reprodução/TV Jornal Interior)

Cerca de 6% dos casos de câncer de mama têm origem hereditária. A costureira Jandira Anita e a dona de casa Ana Paula - mãe e filha - dividem esta história: ambas já foram diagnosticadas com a doença.

A primeira a sofrer com o câncer foi Jandira. Em 2004, ela estava costurando quando o marido apoiou a mão no ombro dela e sentiu um caroço. Ela foi ao médico e descobriu a doença. "Eu desmaiei na hora, é muito difícil receber o diagnóstico de um câncer", relembrou.

Depois de feito o tratamento e de curada a doença, Jandira sofreu outro baque, em 2016: a única filha, Ana Paula, estava com câncer de mama. A doença se espalhou para outros órgãos e deixou o tratamento ainda mais difícil. Já são quatro anos na luta.

"O meu está em estado mais avançado, é metastático, hepático. É papai do Céu o médico dos médicos. A cura vem dele [de Deus]. Ele cura de duas formas, ou para deixar aqui na terra, ou para ele", disse Ana Paula, que usa a fé como forma de apoio no momento difícil.

"O coração de mãe está muito apertado, está doendo muito, porque é muito difícil. Eu preferia que fosse em mim do que na minha filha", contou Jandira.

Mãe e filha participam da rede de apoio feminina Alma Gêmea, que acolhe as pacientes com palavras de amor, superação e conforto, ajudando umas às outras. "Eu estou lutando até o dia que Deus permitir, porque cada um tem uma missão a cumprir aqui na terra. Enquanto há vida há esperança", afirmou Ana Paula.

Após vencer câncer, mãe luta ao lado da filha com a doença

  • 31/10/2019 17:03
Cerca de 6% dos casos de câncer de mama têm origem hereditária. A costureira Jandira Anita e a dona de casa Ana Paula - mãe e filha - dividem esta história: ambas já foram diagnosticadas com a doença. 4 minutos e 30 segundos

Prevenção

De acordo com o oncologista Thiago Mariz, é preciso ficar atento a casos na família para se prevenir. "Você deve suspeitar no caso de familiares que já tiveram a doença, principalmente jovens abaixo de 50 anos. Se tiver algum homem também que tenha a doença, você já suspeita. Você deve investigar na família com a ajuda de um oncogeneticista para ver se não tem nenhuma mutação que seja risco para ter um câncer de mama precoce", explicou.