Racionamento

Sem água encanada, Santa Maria do Cambucá enfrenta problemas

Barragem de Jucazinho está no volume morto

Carolina Pinto
Carolina Pinto
Publicado em 05/11/2019 às 20:08
NOTÍCIA
Reprodução/TV Jornal Interior
FOTO: Reprodução/TV Jornal Interior
Leitura:

O cenário é de seca, muita poeira e vegetação morta no caminho para Pau Santo, na zona rural de Santa Maria do Cambucá, no Agreste de Pernambuco. A região é abastecida pela Companhia Pernambucana de Saneamento (Compesa). No local, há encanação e hidrômetro, o relógio de medição. Mas o sítio deixará de ser abastecido.

Apesar de ruim, a notícia não pegou os moradores de surpresa. "A maioria da zona rural daqui de Santa Maria na realidade não tinha água encanada, era muito pouca. A gente já está acostumado a viver assim, sem água encanada", revelou o funcionário público Márcio Lima.

Na zona rural, há pontos do Exército e da prefeitura que distribuem água, já que o abastecimento sempre foi muito precário. "Os pontos que nós temos, 115 pontos abastecidos pelo Exército, que é para as necessidades de beber e cozinhar. As outras necessidades domésticas, que é tomar banho, lavar pratos, nós abrimos pontos paralelos para atender toda a comunidade", explicou a secretária de Agricultura do município, Elizadai Leal.

Já no centro da cidade, o racionamento é de três dias com água e 27 sem, mas nem sempre a área é abastecida. O agricultor Cícero Leal revela que precisa comprar carros-pipa quando não há água: "É difícil chegar, quando chega é raro. Passa um mês, às vezes mais de um mês. Tanto faz chegar como não".

O racionamento vai acontecer porque a Barragem de Jucazinho, manancial que abastece a cidade, está com 3,8 milhões de metros cúbicos da capacidade total, que é de 304 milhões de metros cúbicos de água. Atualmente foi instalada pela Compesa uma balsa flutuante para captar água do volume morto da barragem e levar até a Estação de Tratamento, único método possível com o nível de água tão baixo.

Outras 10 zonas rurais de 10 municípios também deixarão de ser abastecidos pela Compesa, pelo menos até o mês de março. As cidades afetadas serão Toritama, Frei Miguelinho, Vertentes, Vertente do Lério, Passira, Cumaru, Riacho das Almas, Surubim, Casinhas e Salgadinho.

Mais Lidas