menu

Técnicos e auxiliares de enfermagem cobram respostas da Prefeitura de Santa Cruz

Eles pedem melhores condições de trabalho, mudanças na carga horária

Técnicos e auxiliares de enfermagem estão pedindo melhorias em Santa Cruz do Capibaribe
Técnicos e auxiliares de enfermagem estão pedindo melhorias em Santa Cruz do Capibaribe (Reprodução/TV Jornal Interior)

Os técnicos e auxiliares de enfermagem vêm buscando desde maio deste ano negociar com o município de Santa Cruz do Capibaribe, no Agreste de Pernambuco. Eles pedem melhores condições de trabalho, mudanças na carga horária, entre outras reivindicações. Em junho, a categoria chegou a fazer uma greve e a prefeitura fez um acordo que, segundo os trabalhadores, não foi cumprido.

"Ficou acordado com o secretário de Saúde do município, com o procurador e com o chefe do gabinete que todas as nossas reivindicações que foram aceitas em mesa de negociação seriam cumpridas em agosto, mas infelizmente estamos no mês de novembro e só houve um cumprimento parcial das nossas negociações", lamentou a representante sindical dos auxiliares de técnicos de enfermagem, Tatiana Fradique.

Ainda de acordo com a representante sindical, a categoria tentou retomar as negociações, mas não houve resposta concreta por parte da gestão. A secretária executiva de Saúde do município, Poliane Costa, disse que uma reunião iria acertar os pontos que estão em aberto. "O canal de diálogo está aberto. Existem algumas questões que precisam ser analisadas juridicamente e estão sendo analisadas", disse.

Reunião

Na reunião, realizada na tarde desta quinta-feira (27), a prefeitura apresentou uma contra proposta que será discutida em assembleia na manhã desta sexta. Se a categoria não aceitar, será deflagrada greve.

Veja na reportagem do "TV Jornal Notícias", da TV Jornal Interior:

Técnicos e auxiliares de enfermagem cobram respostas da Prefeitura de Santa Cruz

  • 28/11/2019 19:34
Os técnicos e auxiliares de enfermagem vêm buscando desde maio deste ano negociar com o município de Santa Cruz do Capibaribe, no Agreste de Pernambuco. Eles pedem melhores condições de trabalho, mudanças na carga horária, entre outras reivindicações. Em junho, a categoria chegou a fazer uma greve e a prefeitura fez um acordo que, segundo os trabalhadores, não foi cumprido.