Reintegração de posse

Confusão entre policiais e populares é registrada em Caruaru

Motivo teria sido uma reintegração de posse ocorrida no dia anterior

Ana Maria Santiago de Miranda
Ana Maria Santiago de Miranda
Publicado em 18/12/2019 às 20:22
NOTÍCIA
Reprodução/TV Jornal Interior
FOTO: Reprodução/TV Jornal Interior
Leitura:

Uma confusão entre moradores e policiais militares foi registrada na tarde desta quarta-feira (18) em um terreno no Sítio da Banana, na zona rural de Caruaru, no Agreste de Pernambuco. O tumulto teria começado por causa da derrubada de cerca de 50 árvores frutíferas no local, onde moram cerca de mil famílias. Animais silvestres também estariam na área e por isto teriam que ser removidos.

Uma equipe da Polícia Militar atuou de forma considerada truculenta pelos moradores. Em vídeos registrados por eles, é possível ver que até tiros foram disparados em meio à confusão. Um dos PMs teria atirado para cima e depois efetuado disparos em direção ao ouvido de um dos homens.

Com medo de represálias, o homem que aparece nas imagens preferiu não se identificar, mas contou o que aconteceu. "Começaram a agredir os mais velhos de idade. Eles pediram para a gente se afastar, mas eles estavam dando soco e derrubando os senhores, aí a gente pediu para eles não fazerem isso. Ele olhou pra mim e disse: 'eu vou atirar na sua cara'", relatou.

A advogada das famílias, Michelle Santos, aparece em outro vídeo tentando ir em direção a um dos policiais, que estaria com a arma apontada para o estagiário dela. "Quando eu vou saindo para uma reunião, a polícia chegou. Eu deixei o estagiário terminando de explicar as coisas. Eu fui atrás do carro para ver o que estava acontecendo. Quando eu desço do carro, ele já está com uma gravata e a arma em cima do meu estagiário", disse.

De acordo com os moradores, uma mulher que seria a dona do terreno chegou alegando que iria limpá-los. Logo depois, máquinas começaram a derrubar as árvores. "A gente recebeu uma documentação que eles iam fazer a ocupação dos terrenos baldios, que estavam sem uso, que não tinham nenhuma moradia. Eles vieram e estão desmatando todas as árvores do nosso bairro. A gente tentou evitar que fizessem isso, mas vieram os policiais", contou o presidente da associação, Alisson de Deus.

Um dos facilitadores do Greenpeace Caruaru, Gilvan Mota, afirmou que há animais silvestres no local e que acionou o Corpo de Bombeiros para a retirada de forma correta deles. Para ele, a ação caracteriza crime ambiental. "Encontrei um clima de caoes, já vendo derrubada de árvores e os animais assustados em uma árvore. E a tentativa de destruir esse habitát desses animais", lamentou.

A derrubada das árvores faz parte de uma reintegração de posse por parte da MPEL, empresa que seria a proprietária da área. "A gente está cumprindo uma decisão judicial, na qual a juíza determinou que a empresa proprietária da área fosse emitida na posse de todos os terrenos baldios, que não tivesse edificação. Todos estamos passando a máquina e cercando para configurar a posse", explicou o advogado da empresa, Alisson Guerra.

De acordo com o 4º Batalhão da Polícia Militar, no local havia ameaças e intimidações contra trabalhadores que construíam uma cerca no terreno. A PM informou que na terça-feira (17) foi dado cumprimento ao mandado de reintegração de posse do terreno, a qual ocorreu normalmente. Nesta quarta, os policiais teriam encontrado os ânimos acirrados entre um grupo de 15 pessoas e os funcionários da empresa. A PM disse ainda que ao abordar duas pessoas, que estariam mais exaltadas, o grupo teria cercado os policiais e tentado resistir à ação. As pessoas foram detidas e conduzidas para a delegacia.

Mais Lidas