menu

MPPE apresenta ação contra prefeito de Tacaimbó por suspeita de irregularidade em seleção

Comissão organizadora da seleção simplificada também são alvos da ação civil

MPPE
MPPE representa contra Prefeito de Tacaimbó por suspeita de irregularidades em seleção simplificada (Google Street View/Blog de Jamildo)

O Ministério Público de Pernambuco (MPPE) apresentou uma ação civil pública contra o prefeito de Tacaimbó, no Agreste pernambucano, Álvaro Alcântara, devido a suspeitas de irregularidades na realização da Seleção Pública Simplificada para cargos da prefeitura.

Silvaneide Leonel da Silva Almeida, Lindinalva Moraes Valença Guedes e Roberto de Carvalho Freitas Câmara, que fizeram parte da comissão organizadora da seleção também são alvos da ação civil.

Denúncias

De acordo com a promotora de justiça Sara Lemos Silva, a seleção pública realizada davam conta da ocorrência de supostas simulações, já que a maior parte das pessoas aprovadas já estava temporariamente contratada pela prefeitura e teria sido aprovada sem atender os requisitos do edital. Segundo ela, denúncias apontavam falhas no edital de abertura das inscrições.

Se forem condenados, o prefeito e a comissão podem ser obrigados a pagar multas no valor de até 100 vezes a remuneração recebida, ter os direitos políticos de cinco a oito anos suspensos, perderem cargos públicos que ocupam, ficarem proibidos de contratar com o poder público por cinco a oito anos, além do lançamento dos nomes deles no Cadastro Nacional de Condenados por ato de improbidade administrativa.

O processo está tramitando na Vara única da Comarca de Tacaimbó e aguarda a decisão do Juiz de Direito. As informações são da Rádio Jornal Pesqueira.