90 dias

Ambulantes fazem avaliação do Comércio na Praça, em Caruaru

Projeto tem como objetivo liberar as ruas e calçadas das principais ruas do centro

Ana Maria Santiago de Miranda
Ana Maria Santiago de Miranda
Publicado em 02/01/2020 às 18:45
NOTÍCIA
Reprodução/TV Jornal Interior
FOTO: Reprodução/TV Jornal Interior
Leitura:

Os ambulantes de Caruaru, no Agreste de Pernambuco, ainda divergem sobre o projeto Comércio na Praça, que deslocou os vendedores das principais ruas do centro da cidade para três pontos da área central da cidade. A transferência completou 90 dias.

Nos Guararapes, ainda há muitos bancos vazios. O ambulante José Cícero reclama que está com a mesma mercadoria há três meses: "Essa mercadoria eu comprei quando vim pra cá, está tudo aqui".

Na Praça Leocárdio Porto, os vendedores pedem uma proteção lateral por causa do sol. O vendedor José Vicente faz um apelo aos outros ambulantes contemplados com os bancos: "É pedir ao povo que ganhou os seus pontos que venha, botem mercadoria e trabalhem".

Na Alameda de Alimentação, o principal problema é a falta de banheiros. De acordo com os vendedores, à noite algumas pessoas costumam beber no local. Quando dá vontade de ir ao banheiro, muitos acabam urinando nas proximidades da Igreja da Conceição. "Não tem condições de você vender alimentos aqui, a sujeira é grande", lamenta o ambulante Nero da Silva.

Em nota, a Secretaria de Serviços Públicos informou que quem não ocupou os espaços dos Guararapes perdeu o cadastro e o município fará chamada da lista de espera já no início deste ano para o local. Para o espaço da Leocádio Porto, houve a realocação de comerciantes da lista de espera e quem não ocupou o banco também perdeu o cadastro.

A prefeitura informou que vem trabalhando e investindo na divulgação de comerciais de televisão e com a instalação de placas de sinalização. Além disto, pontualmente são realizadas ações de saúde, beleza e bem-estar para os compradores e quem comercializa nos espaços. A nota diz ainda que os ambulantes que ficam em áreas periféricas da Leocádio Porto atingidas pelo sol foram autorizados a utilizarem guarda sol.

Comércio na Praça

Parte do processo de revitalização do centro da cidade, o Comércio na Praça é um projeto que tem como objetivo liberar as ruas e calçadas das principais ruas da área. Os ambulantes foram realocados para o Largo dos Guararapes, a Praça Leocádio Porto e o Largo da Conceição.

Os vendedores receberam bancos padronizados e fardamento e precisam levar apenas as mercadorias para os espaços. Os locais comerciais no Largo dos Guararapes e Praça Leocádio Porto funcionam partir das 6h e encerra as atividades às 18h. No Largo da Conceição, o funcionamento é das 6h às 14h e 15h às 22h.

O projeto, porém, tem desagradado muitos dos ambulantes, que reclamam que não há movimentação de clientes nos novos espaços. Desde o início da discussão do projeto, já foram vários protestos fechando ruas no centro da cidade. O desejo dos vendedores ambulantes era continuar no centro até o fim de 2019, mas a gestão não acatou o pedido e manteve a data da mudança para 1º de novembro daquele ano.

Mais Lidas