Cobrança

Catadores de recicláveis fazem protesto no lixão de Bezerros

Eles cobram a instalação de uma cooperativa após a desativação do lixão

Ana Maria Santiago de Miranda
Ana Maria Santiago de Miranda
Publicado em 05/02/2020 às 16:57
NOTÍCIA
Reprodução/TV Jornal Interior
FOTO: Reprodução/TV Jornal Interior
Leitura:

Um grupo de catadores de recicláveis fez um protesto bloqueando o acesso de caminhões ao lixão de Bezerros, no Agreste de Pernambuco. Localizado no bairro Santo Antônio, o lixão foi desativado em 28 de dezembro do ano passado, depois de 48 anos.

Mesmo com condições precárias, havia cerca de 70 catadores que tiravam sustento do local. De acordo com eles, a prefeitura se comprometeu a criar uma cooperativa para que eles continuassem com a atividade, o que não ocorreu.

"Na reunião que teve, ficou certo para trazer o lixo para a gente catar os materiais recicláveis e o que não prestasse levar para Caruaru. Até agora não está vindo nada, só caminhão com bicho morto, sangue e metralha. Se não pode vir nada que beneficie as famílias, para que vai vir isso?", questionou catadora Maria Nataly Silva.

A catadora Ângela Maria também cobra a instalação da cooperativa: "A gente ia ficar com lixo até fevereiro, até que eles arrumassem um canto para fazer uma cooperativa. Quando a gente chega para trabalhar não tem nada. Querem enganar a gente com uma cesta básica. A gente não quer isso, a gente quer trabalho"

De acordo com o secretário de Governo do município, Marcone Andrade, a prefeitura não descumpriu a promessa e a criação da cooperativa está sendo articulada. "Nós fizemos duas reuniões com eles, uma no início do mês de janeiro e outra na quinta-feira passada. Na sexta-feira, nós fomos com um representante eleito por eles a Recife buscar informações de como a gente pode tratar da melhor forma possível a formalização de uma cooperativa para que se resolva de fato o problema do lixão de Bezerros".

Ainda segundo o secretário, o município não tinha conhecimento de que restos de animais estavam sendo despejados no terreno e tomará as medidas cabíveis para solucionar a questão.

Mais Lidas