menu

Dezessete cidades pernambucanas têm casos de coronavírus; veja

Estado agora tem 223 casos confirmados da doença, com 30 mortes

Máscaras são utilizadas para proteção ao coronavírus
Máscaras são utilizadas para proteção ao coronavírus (Pixabay)

O número de cidades pernambucanas com casos do novo coronavírus (covid-19) subiu para 17, de acordo com balanço divulgado pela Secretaria Estadual de Saúde (SES-PE). Até esta segunda-feira (6), eram 223 confirmações, com 30 mortes. Há 25 pacientes recuperados.

Os casos estão distribuídos em: Recife (146), Jaboatão dos Guararapes (15), Olinda (11), Cabo de Santo Agostinho (5), Camaragibe (7), Paulista (5), São Lourenço da Mata (7), Lagoa do Carro (1), Paudalho (2), Palmares (1), Belo Jardim (1), Caruaru (3), Cachoeirinha (1), Petrolina (2), Ipubi (1), Aliança (1) e Goiana (1).

Há casos ainda no Arquipélago de Fernando de Noronha (7) e da ocorrência de pacientes de outros Estados (3) e países (3).

Nove novas mortes

Mais nove mortes foram confirmados laboratorialmente, totalizando 30 mortes pela doença no estado. Das mortes confirmadas, sete são do sexo feminino e duas do sexo masculino. Entre os mortos estão um adolescente de 15 anos e uma grávida. A Secretaria de Saúde informou também que os óbitos ocorreram entre os dias 27 de março e 5 de abril.

Sintomas e prevenção

O Covid-19 é similar a uma gripe e é transmitido pela saliva, espirro, tosse ou aperto de mãos. Os sintomas do coronavírus são febre, tosse e falta de ar. Caso apresente os sintomas, a orientação é ligar 136 ou procurar uma unidade de saúde na sua cidade.

A melhor forma de prevenir o novo coronavírus e outras doenças respiratórias é tomando algumas atitudes como: lavar bem as mãos frequentemente com água e sabão; utilizar álcool em gel 70% para higienizar as mãos caso não possa lavá-las; cobrir o nariz e a boca com um lenço descartável ao espirrar e tossir; usar o ombro ou braço para cobrir o espirro e a tosse; evitar tocar os olhos, nariz e boca quando as mãos não estiverem limpas; não compartilhar alimentos e objetos de uso pessoal como talheres, pratos, copos e garrafas; higienizar aparelhos celulares, tablets e controles remotos; manter ambientes bem ventilados, com portas e janelas abertas. Caso já esteja doente, evite locais fechados com muitas pessoas e o contato com idosos, gestantes e doentes crônicos.

Confira a forma correta de lavar as mãos, indicada pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa):

1. Abra a torneira e molhe as mãos, evitando encostar na pia;
2. Aplique na palma da mão a quantidade suficiente de sabonete líquido para cobrir todas as superfícies das mãos;
3. Ensaboe as palmas das mãos, friccionando-as entre si;
4. Esfregue a palma da mão direita contra o dorso da mão esquerda (e vice-versa), entrelaçando os dedos;
5. Entrelace os dedos e friccione os espaços interdigitais;
6. Esfregue o dorso dos dedos de uma mão com a palma da mão oposta (e vice-versa), segurando os dedos, com o movimento de vai-e-vem;
7. Esfregue o polegar direito, com o auxílio da palma da mão esquerda (e vice-versa), utilizando movimento circular;
8. Friccione as polpas digitais e unhas da mão esquerda contra a palma da mão direita, fechada em concha (e vice-versa), fazendo movimento circular;
9. Esfregue o punho esquerdo, com o auxílio da palma da mão direita (e vice-versa), utilizando movimento circular;
10. Enxágue as mãos, retirando os resíduos de sabonete. Evite contato direto das mãos ensaboadas com a torneira;
11. Seque as mãos com papel toalha descartável, iniciando pelas mãos e seguindo pelos punhos.
*Para a técnica de higienização anti-séptica das mãos, seguir os mesmos passos e substituir o sabonete líquido comum por um associado a anti-séptico